Celso Pupo/ Fotoarena/ Estadão Conteúdo
Celso Pupo/ Fotoarena/ Estadão Conteúdo

CBF investe R$ 15 milhões em recurso de vídeo

Utilização, porém, deve acontecer somente na segunda metade de 2017

O Estado de S.Paulo

17 Outubro 2016 | 13h40

Em meio as polêmicas de arbitragem que cercam o futebol brasileiro, um velho assunto volta à tona: a utilização de vídeos para auxiliar os juízes nas partidas. Pensando no tema, a CBF investiu mais de R$ 15 milhões no programa para implementar o uso das imagens, segundo o portal UOL.

O recurso, porém, está longe de fazer parte dos confrontos. Proibido pela Fifa, deve ser utilizado somente na segunda metade de 2017, já que também demandará um longo tempo para que a metodologia seja aprendida.

"Por nós, já estaríamos com o recurso em maio deste ano, mas a Fifa não autorizou. E sabemos que não é nada simples. Há um cronograma a se cumprir. Estamos nos esforçando e com uma boa equipe trabalhando muito", explicou o coordenador da CBF Sérgio Corrêa ao UOL.

A utilização do vídeo voltou a ser notícia após a polêmica no clássico entre Flamengo e Fluminense, pela 30ª rodada, vencido pelo clube rubro-negro, por 2 a 1. Na ocasião, o árbitro Sandro Meira Ricci validou um gol impedido do time tricolor e depois voltou atrás, gerando muita reclamação.

Mais conteúdo sobre:
Sérgio Corrêa CBF Fifa Futebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.