CBF já conta com o meia Kaká

Está perto do fim a novela sobre a participação de Kaká no Pré-Olímpico que será disputado no Chile entre 7 e 25 de janeiro. Uma fonte da CBF ouvida nesta sexta-feira pelo JT acredita que até o fim da próxima semana haverá o anúncio oficial da Fifa sobre o caso. Mas dentro da CBF já é dado como certo que Kaká será convocado pelo técnico Ricardo Gomes e o Milan que vá brigar na Justiça Comum para tentar manter o jogador.A entidade brasileira sabe que está respaldada pelo regulamento da Fifa. O vice-presidente da Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol), Eugenio Figueiredo, confirmou ao que o Pré-Olímpico é um torneio oficial da Fifa e por isso o Milan será obrigado a ceder o jogador se a CBF exigir. Mas ele disse que, por uma questão de bom senso, o Brasil deveria abrir mão de trazer Kaká. ?Ele já joga as Eliminatórias e seria melhor não abusar?, afirmou.Mas a CBF não tem a menor intenção de abrir mão do craque do Milan. A conquista da medalha de ouro em Atenas é uma obsessão para o presidente Ricardo Teixeira e para chegar lá será preciso terminar em primeiro ou segundo lugar no Pré-Olímpico. Como Kaká no time, a chance de atingir esse objetivo será bem maior.TEIXEIRA - A posição do presidente da Fifa é idêntica à do vice da Conmebol. Joseph Blatter acha que o Brasil não deveria exigir a presença de Kaká na competição da Seleção Sub-23, mas sabe que o Brasil tem esse direito.Ricardo Teixeira está nos Emirados Árabes Unidos acompanhando o Mundial Sub-20. Nesta sexta-feira, viu a vitória do Brasil sobre o Canadá ao lado do presidente da Fifa. E semana que vem estará com Blatter em Frankfurt, onde haverá um Congresso da Fifa entre os dias 2 e 6.Ele já declarou que Kaká jogará o Pré-Olímpico. E o técnico Ricardo Gomes, respaldado pela CBF, diz que o jogador só não virá se a Fifa ?mudar as regras do jogo?.Na Itália, a direção do Milan tenta manter o otimismo, mas está preocupada com a possibilidade de a Fifa obrigar o clube a liberar Kaká. Se antes os dirigentes entendiam que a decisão que beneficiou clubes franceses no início de novembro ? foram autorizados a não ceder jogadores para uma rodada do Pré-Olímpico da África ? era um precedente animador, agora já não têm tanta certeza assim. Eles chegaram à conclusão de que é mais fácil a Fifa dizer não a federações africanas do que para a CBF, que tem peso na Fifa e é presidida por um importante aliado de Blatter.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.