Fifa TV
Fifa TV

CBF lamenta posição da Fifa e promete 'diálogo' para evitar erros contra seleção

Entidade afirma que é importante debater para evitar futuros erros e aperfeiçoar a utilização da tecnologia

Ciro Campos, enviado especial / Sochi, O Estado de S.Paulo

20 Junho 2018 | 10h54

Após encaminhar uma reclamação à Fifa sobre a arbitragem do jogo entre Brasil e Suíça, pela Copa do Mundo da Rússia, a CBF divulgou nota nesta quarta-feira para confirmar que recebeu a resposta sobre a queixa. A entidade brasileira teve recusado o pedido para receber o áudio e o vídeo da conversa entre a equipe de arbitragem, porém reiterou o entendimento de que a decisão de questionar o lance foi válida para "abrir o debate" sobre o caso.

+ Neymar volta aos treinos e viaja para enfrentar a Costa Rica

+ Árbitro holandês apitará Brasil e Costa Rica; esloveno será responsável pelo VAR

"A CBF mantém sua posição de que houve claro erro de arbitragem nos lances questionados que poderiam ter sido evidenciados no caso da utilização do árbitro de vídeo e considera importante ter aberto esse debate", diz trecho da nota oficial divulgada pela CBF. A entidade afirmou que ao abrir o diálogo sobre o tema, conseguirá ajudar o futebol a evoluir ao evitar erros futuros e colaborar para o aperfeiçoamento do uso da tecnologia.

A CBF enviou uma carta à Fifa para reclamar do lance do gol da Suíça no empate em 1 a 1 no último domingo. No entender dos brasileiros, o suíço Zuber empurrou Miranda na disputa de bola, em atitude que deveria ter sido consultada pelo sistema de árbitro de vídeo (VAR, na sigla em inglês) para decidir se houve ou não a infração. O árbitro Cesar Ramos preferiu não perguntar para os assistentes e validou o gol.

Na noite de terça-feira (horário da Rússia), a CBF recebeu a resposta da Fifa, em carta assinada pelo chefe da Comissão de Arbitragem, o italiano Pierluigi Collina, e pelo Secretário Geral Adjunto para Futebol, o croata Zvonimir Boban. Os dois reiteraram que o uso do vídeo é para prevenir erros claros e óbvios e que os demais casos ficam sujeitos à avaliação de quem está no apito.

"Como tem sido repetidamente comunicado, a pergunta que os VARs devem fazer a si mesmos quando o árbitro toma uma decisão durante uma partida não é 'a decisão do árbitro foi correta?'. Eles devem se perguntar se 'a decisão do árbitro foi clara e obviamente errada?', pois a interpretação do árbitro em todas as demais situações é e permanece a única relevante quando uma decisão é tomada", diz trecho da resposta da Fifa que foi divulgada pela CBF.

 

A Fifa ressaltou no comunicado à CBF de que não faria nenhum comentário sobre a atuação do árbitro mexicano e explicou que mesmo antes do início da Copa do Mundo, decidiu não divulgar o áudio e vídeo de conversas entre o juiz principal e quem está na sala de vídeo para avaliar os possíveis lances polêmicos.

Para o jogo com a Costa Rica, na sexta-feira, a Fifa designou para apitar o holandês Bjorn Kuipers. Aos 45 anos, ele é um dos mais experientes desde Mundial. Curiosamente, na estreia, a seleção entrou em campo em Rostov em partida que teve no comando o mexicano Cesar Ramos, de 34 anos, um dos mais jovens desta Copa do Mundo.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.