CBF: mais uma chance para calendário

Há três meses, numa cerimônia que contou com as presenças de Pelé, do presidente da CBF, Ricardo Teixeira, e do ministro dos Esportes, Carlos Melles, Teixeira prometeu a apresentação, até o final de abril, de um calendário para o futebol brasileiro entre 2002 e 2005. O tal calendário ainda não foi apresentado, mas nesta quinta-feira há uma excelente oportunidade: Melles, Pelé e Teixeira estarão reunidos novamente em Brasília para uma cerimônia oficial do ministério.As cobranças são grandes e os interesses, variados. Um dos pontos mais polêmicos é a questão da Copa Mercosul, disputada no segundo semestre. A Traffic, organizadora do evento, e os sete clubes participantes ? Corinthians, Palmeiras, São Paulo, Vasco, Flamengo, Grêmio e Cruzeiro ? querem que o torneio seja mantido. A TV Globo é contra, porque atrapalhará o Campeonato Brasileiro, inchado com 28 clubes e com possibilidade de inclusão de mais um, o Clube do Remo, de Belém, que conseguiu liminar na Justiça.O Clube dos 13, escaldado com a experiência da organização da Copa João Havelange no ano passado, lava as mãos. ?O calendário quadrienal é um compromisso que a CBF assumiu e queremos saber como vai ficar. A responsabilidade é toda dela?, cobra o presidente da entidade, Fábio Koff, que viajou nesta quarta-feira para Brasília para se encontrar com Pelé, Teixeira e Melles. Koff, oficialmente, não toma partido na questão da Mercosul, pois o Clube dos 13, que reúne 20 clubes, está dividido. Enquanto os sete participantes defendem a competição, que rende boas cotas de TV, os outros 13 são contra, porque diminuiria o número de datas do Brasileiro (de 14 de julho a 23 de dezembro) e dividiria a atenção da torcida.Outro problema para a CBF são os torneios que envolvem a seleção, como a Copa América, as eliminatórias da Copa, ainda em 2001, e o Mundial de 2002. O Clube dos 13 não abre mão da Copa dos Campeões, da Copa do Brasil, das copas regionais, e do Brasileiro. Teixeira confirmou presença nesta quinta-feira em Brasília, mas não se sabe se ele apresentará o esboço do calendário prometido.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.