CBF muda critérios de ranking e dá bônus à Libertadores

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) decidiu alterar significativamente os critérios do seu ranking, de forma a valorizar os resultados recentes das equipes e dar maior bonificação aos clubes campeões nacionais. O ranking é utilizado para definir 10 dos clubes que disputam a Copa do Brasil.

AE, Agência Estado

06 de novembro de 2012 | 17h01

No formato antigo, utilizado desde 2003, o campeão brasileiro somava 60 pontos, apenas um a mais do que o segundo colocado. As posições subsequentes perdiam apenas um ponto. O vencedor da Série B ganhava 40 pontos (um a menos que o último colocado da Série A) e o da Série C 20 pontos.

Além disso, o campeão da Copa do Brasil somava 30 pontos, com o vice ganhando 20 (o mesmo que o campeão da Série C) e os semifinalistas apenas 10 (equivalente ao 11.º colocado da Série C). E os times que disputavam a Copa Libertadores e, por isso, não jogavam a Copa do Brasil, ficavam sem nenhuma pontuação.

Agora a CBF tenta corrigir essas distorções. O campeão brasileiro ganha 800 pontos, 160 a mais do que o segundo colocado. Os vencedores das Séries B, C e D vão receber, respectivamente, 400, 200 e 100 pontos cada - sempre metade do campeão da divisão superior. Os vice ganham 80% da pontuação do campeão e os terceiros e quarto lugares 75% e 70%, respectivamente.

Isso vale também a Copa do Brasil, na qual a solução foi dar 600 pontos. Além disso, todos os clubes que disputarem a Copa Libertadores, independente do resultado deles na competição, ganham 400 pontos - o equivalente a ir às quartas de final da Copa do Brasil.

A principal mudança, porém, é a abrangência temporal do ranking. Se antes eram considerados todos os resultados desde 1959, com peso igual, agora só entram na conta os resultados dos cinco últimos anos. E com peso diferenciado: cinco para a temporada vigente e um para a mais antiga.

Os maiores prejudicados pela mudança no ranking são clubes que há tempos não jogam a Série A, como Juventude, Paysandu, Londrina e Joinville, que tinham expectativa de disputar a Copa do Brasil do ano que vem por conta do ranking privilegiado, fruto de conquistas antigas. Em troca, ganham espaço times que jogaram a Série A nos últimos anos, como Figueirense, Barueri, Atlético-GO, Avaí e São Caetano.

Mais conteúdo sobre:
futebolranking da CBF

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.