CBF não sabe o que fazer com a Série B

A "nova" forma de disputa da Série B do Campeonato Brasileiro, de turno único, classificando-se os oito primeiros para as fases finais, durou apenas algumas horas, na tarde-noite de quarta-feira. Hoje, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) informou que ainda estava valendo o sistema aprovado anteriormente: o de turno e returno. Mas uma nova mudança pode ocorrer amanhã, voltando a vigorar a idéia do turno único. Esse vaivém de (in) decisões acerca da Segunda Divisão promete novos episódios nos próximos dias. Uma coisa parece consensual: o campeonato começará no dia 19 de abril. Pelo menos era o que a Futebol Brasil Associados (FBA), responsável pela organização da competição, e o Departamento Técnico da CBF afirmavam até às 19h de hoje. De qualquer maneira, é bom o torcedor de Palmeiras, Portuguesa e Botafogo-RJ, entre outros, ficar de olho no site da CBF para não ser pego de surpresa: (www.cbfnews.com.br). A Série B tinha início previsto para 4 de abril. Foi adiada para o dia 18. Agora, a data escolhida 19 deste mês. Cogitava-se no entanto um adiamento para 26 de abril. A seqüência de desencontros vem tirando o interesse das emissoras de TV pelo evento. Esta é uma dificuldade da FBA em organizar o campeonato. Estimava-se em R$ 30 milhões o custo do empreendimento e a entidade não dispõe nem da metade desses recursos. "Havia um acordo verbal com a TV Globo de que receberíamos R$ 20 milhões pela Série B. A emissora desistiu da transmissão em carta datada de 11 de março", contou Eduardo Negrão, diretor-executivo da FBA. Diante dos obstáculos, a entidade levou uma proposta à CBF em reunião de quatro horas na sede da confederação, ontem. Ao final do encontro, o presidente da FBA, Peter Silva, contou em poucas palavras o que ficara definido. "Está decidido que o campeonato será em turno único e que os oito melhores passarão à segunda fase para, então, haver uma disputa no sistema mata-mata." Isso diminuiria os custos operacionais da competição. A CBF fechou questão. Só por algumas horas. Depois, o presidente da confederação, Ricardo Teixeira, que não participou da reunião, deixou claro que continuava defendendo a disputa em turno e returno, mesma posição assumida por Palmeiras e Botafogo. A CBF apostou na possibilidade de obter recursos, à última hora, para manter a forma inicial da competição. A informação foi confirmada pelo diretor do Departamento Técnico, Virgílio Elísio. "Há sim um Plano B (o de turno único), mas ele só será posto em prática se o dinheiro não der. Não há uma terceira hipótese. Posso garantir que deixar de fazer o campeonato é que não vamos. Acredito numa definição amanhã na CBF", disse o dirigente. Ainda sem saber da mudança oficial de posição da CBF, a diretoria da FBA marcara reunião para hoje, em São Paulo, a fim de começar a discutir a nova tabela e detalhes do que seria o novo formato do campeonato.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.