CBF procura Bellini para fazer convite

Procura-se Bellini, o capitão da seleção brasileira na Copa do Mundo de 1958. Quem souber do paradeiro do zagueiro campeão mundial na Suécia, favor informar o senhor Ricardo Teixeira, na sede da CBF, Barra da Tijuca, Rio. O dirigente fez um convite a Bellini para participar da cerimônia da entrega do Prêmio Príncipe das Astúrias, dia 25, em Oviedo, na Espanha, mas não consegue encontrar o ex-jogador.?Apesar de termos recebido ajuda da imprensa, a entidade ainda não conseguiu manter contato com o capitão do primeiro título mundial do Brasil. Caso alguém tenha uma forma de ajudar a CBF, favor enviar um e-mail para imprensa.cbf@cbffutebol.com.br.? Este aviso estava nesta quinta-feira no site oficial da CBF.Ricardo Teixeira gostaria de contar com Bellini ao lado dos capitães campeões mundiais com a seleção brasileira: Carlos Alberto Torres, em 1970, Dunga, em 94, e Cafu, em 2002. Mauro Ramos, morto em setembro, capitão do Brasil na conquista da Copa de 1962, será representado por Zagallo. O ex-técnico ainda será homenageado por ter sido campeão como jogador nas Copas de 58 e 62, treinador em 70 e auxiliar-técnico no Mundial de 94. Carlos Alberto Parreira e Luiz Felipe Scolari também foram convidados.Todos aceitaram o convite de Ricardo Teixeira. Falta apenas localizar Bellini. ?Temos um telefone dele em São Paulo. Chamamos, chamamos, mas ninguém atende?, disse, nesta quinta-feira, Rafael Fernandes, um dos assessores de imprensa da CBF. A Agência Estado também tentou por telefone um contato com o ex-jogador, até às 18h desta quinta-feira, mas sem sucesso. O presidente da CBF espera levar uma comitiva de respeito para Oviedo, dia 25, na cerimônia de entrega do Prêmio Príncipe das Astúrias, um dos maiores do esporte mundial. A seleção brasileira foi eleita o destaque do ano pelo júri do prêmio e terá direito a US$ 50 mil, mais uma estatueta criada pelo artista espanhol Joan Miró.Ricardo Teixeira não informou se pretende dividir os US$ 50 mil com os capitães e técnicos que levará para a festa de Oviedo. O cartola está fora do Brasil, atendendo compromissos da Fifa. Seus assessores disseram que ele ainda não escolheu o técnico que comandará a seleção brasileira no amistoso contra a Coréia do Sul, dia 20 de novembro, em Seul. A partida deve render US$ 1 milhão aos cofres da CBF.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.