CBF reconhece Liga Nacional de Clubes

A Liga Nacional de Clubes foi reconhecida e teve o processo de registro iniciado pela Confederação Brasileira de Futebol (CBF), nesta quinta-feira, mas a nova entidade já nasceu amargando uma série de derrotas. E a próxima pode ser a única exigência aceita pela CBF para celebrar um acordo com a Liga: a de que a nova entidade organize o Campeonato Brasileiro de 2003. "A Assembléia Geral da CBF já decidiu que o calendário de 2003 só será organizado após a Copa do Mundo", despistou nesta quinta-feira o presidente em exercício da CBF, José Sebastião Bastos, ao ser indagado sobre a realização do Brasileiro do próximo ano. Ele não confirmou a realização do Brasileiro de 2003 pela Liga. Antes de aceitar às condições impostas pela CBF para seu reconhecimento, o presidente da Liga, Fábio koff, não admitia deixar de organizar o Brasileiro de 2002 e exigia que a nova entidade tivesse direito a voto na Assembléia Geral, que é formada pelos presidentes das Federações Estaduais de Futebol. Diante da recusa dos dirigentes, do não reconhecimento da Fifa (que só aceita a filiação de Ligas reconhecidas pela entidade máxima do futebol de um país) e da possibilidade de criar um campeonato paralelo, sem valor, Koff, representando os Clubes Nacionais, exceto as grandes equipes cariocas, cedeu. Nesta quinta-feira Koff amargou outra derrota ao ter mais artigos vetados do estatuto para o reconhecimento da Liga, entregue na terça-feira à CBF. "Telefonamos para ele e avisamos que iríamos cortar outros artigos. E o Koff concordou", disse o presidente interino da CBF.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.