CBF se cala após Ronaldo criticar preparação para Copa

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) não quis rebater as declarações do atacante Ronaldo sobre as atividades da seleção pouco antes da Copa do Mundo de 2006. O atleta, atualmente sem clube, disse no Programa Bem Amigos, do Sportv, na noite de segunda-feira, que a preparação foi ?um circo?. Ele reclamou do período de aclimatação na cidade de Weggis, na Suíça, quando os treinos eram abertos ao público. ?Tínhamos treinos de dia e de tarde com 15 mil pessoas gritando no nosso ouvido, uma festa?, afirmou.?Nós assumimos nossa culpa (pelo fracasso na competição), mas é fácil todo mundo falar que a culpa foi só dos jogadores?, prosseguiu. ?Não vi ninguém falar que a preparação foi uma droga, um circo?. De acordo com a CBF, Ronaldo expressou ?legitimamente? sua opinião a respeito dos dias em que a seleção ficou em Weggis.A cúpula da entidade fez um mea-culpa logo depois do Mundial e o presidente da CBF, Ricardo Teixeira, decidiu cortar algumas atribuições antes a cargo do secretário-geral Marco Antonio Teixeira e do supervisor Américo Faria. Foram eles que definiram os detalhes da estada do Brasil em Weggis - de 22 de maio a 3 de junho de 2006.Ao afirmar, no entanto, que a preparação do Brasil para aquele Mundial ?foi um circo?, Ronaldo não fez menção a seu peso nos dias que antecederam a estréia da equipe. Ele teria se apresentado à comissão técnica com quase 100 quilos, muito acima do peso ideal.Ronaldo cometeu outro exagero ao dizer que ?15 mil pessoas? gritavam a cada treino. Na verdade, o local reservado para a seleção tinha capacidade para abrigar 5 mil torcedores. Ao redor do centro de treinamento de Weggis, também havia um ambiente de festa e espetáculo, com dezenas de barracas montadas para promover a música, a culinária e outros produtos do Brasil. Após passar pela Suíça, a seleção se instalou na cidade alemã de Königstein, a 20 quilômetros de Frankfurt.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.