CBF tem sigilo bancário quebrado

A procuradora Andrea Bayão, do Ministério Público Federal (MPF), requereu hoje à Justiça Federal a quebra de sigilo bancário "de operações ligadas à Confederação Brasileira de Futebol (CBF)", referentes a dois inquéritos em curso na Polícia Federal, no Rio. Um investiga aplicações da entidade no Banco Vega, entre 1996 e 1997. O outro apura o destino do dinheiro recebido pela CBF pela participação na Copa das Confederações de 1997.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.