CBF tira Heber e Simon da geladeira

Depois de ter seu nome envolvido no escândalo de manipulação de resultados e de ter sido afastado preventivamente do trabalho, Heber Roberto Lopes voltará a apitar normalmente no Campeonato Brasileiro. Segundo revelou nesta quinta-feira o presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, Edson Rezende, o árbitro paranaense irá ser escalado a partir da 34ª rodada, que começa na próxima terça-feira.?Desde o início nunca acreditei que o Heber poderia ter participado disso tudo. E com o desenrolar das apurações, desde o depoimento do Gibão (Nagib Fayad), a gente fica ainda mais tranqüilo e seguro?, disse o presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, explicando também porque afastou preventivamente o árbitro paranaense. ?Só não o coloquei nessa rodada porque quis poupá-lo. Deixar ele refrescar a cabeça.?O nome de Heber Roberto Lopes foi envolvido no escândalo da arbitragem porque o empresário Nagib Fayad, durante seu depoimento na CPI dos Bingos, na quarta-feira, em Brasília, disse que o jogo entre Botafogo e Juventude, no dia 11 de junho, teve o resultado manipulado pelo árbitro paranaense.Apontado como chefe da máfia do apito, Nagib Fayad contou que foi o ex-árbitro Edílson Pereira de Carvalho, outro réu confesso no escândalo da arbitragem, quem teria lhe alertado sobre a atuação de Heber naquela partida do Brasileirão.Mas o árbitro paranaense tratou de desmentir toda a acusação. O próprio Edílson Pereira de Carvalho também saiu em sua defesa, assim como os promotores que investigam o caso negaram a participação dele na máfia do apito. ?O Heber teve uma atitude correta. Veio logo a público e esclareceu tudo. Colocou seus sigilos bancário e fiscal à disposição da Justiça?, elogiou Edson Rezende. Mais um - Além de Heber, outro árbitro saiu nesta quinta-feira da ?geladeira? da Comissão de Arbitragem: Carlos Eugênio Simon (Fifa-RS). E o gaúcho voltará a atuar em grande estilo, porque foi sorteado para apitar São Paulo x Corinthians, na segunda-feira, no Morumbi, em partida remarcada e válida pela 16ª rodada do Brasileiro.O árbitro gaúcho ficou de fora do sorteio da 33ª rodada do Brasileiro por causa dos erros cometidos no empate, por 3 a 3, entre Vasco e Figueirense, um dos jogos remarcados por causa do escândalo na arbitragem. ?Na realidade, o Simon foi mais prejudicado pelo desempenho do seu auxiliar. Ele foi levado a cometer erros?, justificou Edson Rezende.

Agencia Estado,

20 de outubro de 2005 | 21h10

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.