CBF vai pagar o salário de Magrão

A CBF pagará integralmente os salários de Magrão durante os dois meses em que o volante palmeirense ficará no estaleiro. O violento choque com a cabeça do atacante Sandoval, da Guatemala, no primeiro tempo do jogo/festa de Romário, na quarta-feira, no Pacaembu, provocou afundamento de um centímetro no seio nasal do volante. O prejuízo palmeirense será grande por dois motivos. O primeiro, pela perda do líder do time em plena disputa da Libertadores e do Brasileiro. O segundo é que a diretoria esperava por uma proposta da Europa para vendê-lo no meio do ano. Ele sairá nesta sexta-feira do Hospital São Luiz, onde ficou internado desde a noite de quarta-feira. Apesar do incidente, soube-se que está bem humorado. "Doutor, não precisa colocar placa de titânio no meu rosto só pra eu ficar bonito. Deixa assim: sou feio, não tem jeito", brincou o jogador com o médico do Palmeiras, Vinícius Martins. "Os dois meses que o Magrão ficará sem jogar serão pagos pela CBF. Mas o nosso prejuízo é muito maior. Vai além disso. Ficaremos sem um jogador tão importante como ele em um período fundamental da temporada. Isso não tem como recuperar. Nenhum clube no Brasil tem um jogador com a sua personalidade", lamenta o diretor de Futebol Hugo Palaia.

Agencia Estado,

28 Abril 2005 | 19h52

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.