CBF vê situação entre atleta e clube

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) vai fazer um levantamento de todos os contratos dos jogadores para saber quais terminarão em breve, assim que for publicada a Medida Provisória do governo federal no Diário Oficial. Foi o que informou um funcionário do departamento Jurídico da entidade, que preferiu não se identificar. Segundo ele, a expectativa é de que em um mês a CBF terá conhecimento de todos os compromissos entre atletas e clubes, para avaliar a situação de cada jogador. O prazo deve-se a grande quantidade de contratos registrados na entidade. Apesar de ainda não ter lido a versão oficial da lei, o funcionário explicou que a nova lei deve prevalecer apenas para os novos contratos. Ou seja, os documentos assinados antes de ontem serão regidos pela antiga lei. O funcionário ouvido pela Agência Estado será um dos responsáveis por avaliar os compromissos entre atletas e clubes. Isso quer dizer que o jogador terá de esperar o fim do seu atual contrato para negociar com as novas bases da lei. A partir daí, como está previsto pela MP, se extingue o passe, mas o clube terá direito de receber uma indenização caso um dos jogadores revelados nas suas divisões de base se transfiram. Há um item que estende esse direito até seis meses depois do fim do prazo contratual. Segundo o funcionário, o parecer da CBF em relação a cada caso dependerá da análise do documento assinado pelas duas partes. No documento, está explicado qual é a natureza do vínculo do atleta com o clube. Diante da indefinição, porque ainda há dúvidas sobre a aplicação da lei, os jogadores cujos contratos terminam nos próximos dias ainda devem ter de esperar para contar com um parecer oficial da CBF. E, para que o atleta jogue em outro clube, a entidade tem de confirmar oficialmente a transferência. Ainda não está definido o que a CBF vai fazer em casos como o de Juninho Pernambucano e de Ronaldinho Gaúcho. Ambos se anteciparam ao fim do passe e entraram na Justiça Comum para conseguirem se liberar do vínculo com Vasco e Grêmio, respectivamente. Enquanto o caso de Ronaldinho ainda está sub-júdice, Juninho já conseguiu o passe livre.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.