Divulgação
Divulgação

CBF veta que clubes mandem jogos fora de seus estados nas últimas cinco rodadas

Posição foi tomada depois do jogo entre América-MG e Palmeiras em Londrina

Estadão Conteúdo

11 Outubro 2016 | 18h55

Depois da polêmica criada com a realização do confronto entre América-MG e Palmeiras em Londrina, no último domingo, a CBF se manifestou nesta terça-feira e anunciou que os clubes estão proibidos de mandarem as partidas fora de seus estados nas últimas cinco rodadas dos Campeonatos Brasileiros nas séries A e B.

"Com base no Artigo 1º do Regulamento Geral das Competições, que busca os princípios de integridade, estabilidade e segurança desportiva dos campeonatos, a CBF resolveu vetar a saída de clubes mandantes do seu estado de origem, na reta final das séries A e B do Brasileirão", anunciou a entidade em seu site oficial.

A polêmica ganhou corpo no último domingo. Por questões financeiras, o América-MG vendeu o mando a um empresário, que levou a partida para Londrina, onde a torcida do Palmeiras é bastante superior e acabou tomando conta das arquibancadas. A manobra irritou os concorrentes do time paulista, que reclamaram de uma suposta "inversão de mando".

"Por ser um momento decisivo da competição, agimos para evitar, na reta final da competição, distorções técnicas na definição das posições cruciais, no topo e na parte de baixo da tabela. Na Série A, a decisão engloba as rodadas que, inclusive, ainda não tiveram a tabela desmembrada", explicou o diretor de competições da CBF, Manoel Flores.

A medida poderia prejudicar o Flamengo, que ao longo do Brasileirão teve o Estádio Kleber Andrade, em Cariacica-ES, como principal casa. Mas o Maracanã já deverá estar disponível a partir da 34.ª rodada do Brasileirão, na qual a medida da CBF passará a valer. Com isso, o time rubro-negro deve mandar no estádio carioca suas últimas partidas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.