Reprodução
Reprodução

Torcida do Ceará é alvo de racismo no jogo com o Independiente na Argentina; veja vídeo

Imagens que circulam nas redes sociais mostram argentino imitando gestos de macaco para a arquibancada brasileira em duelo pela Copa Sul-Americana; Conmebol afirma que expediente disciplinar será aberto para investigar o caso

Redação, O Estado de S.Paulo

26 de maio de 2022 | 13h12

A classificação do Ceará para as oitavas de final da Copa Sul-Americana, após vitória sobre o Independiente, foi marcada por um novo caso de racismo no futebol continental. Durante a partida, um torcedor argentino foi flagrado fazendo gestos racistas, como imitar um macaco, em direção à torcida cearense. O vídeo ganhou repercussão nas redes sociais, mas o clube ainda não se pronunciou oficialmente sobre os caso.

"Vai ser preso, te vejo cadeia", afirmou um torcedor do Ceará no vídeo. "Tá sendo gravado", completou. Em outro vídeo, a torcida cearense é hostilizada, verbalmente, pelos torcedores argentinos. 

Segundo a Conmebol, o expediente disciplinar para apurar o episódio de racismo no duelo entre as equipes deve ser aberto ainda nesta semana. Em seguida, o caso será julgado pela Unidade Disciplinar da entidade, que deve ser concedido um prazo de sete dias tanto ao clube quanto ao acusado para a apresentação de suas defesas e argumentos. O prazo pode ser estendido caso o Ceará venha a solicitar uma audiência.

Casos de racismo tem sido frequentes nos duelos entre brasileiros e argentinos em 2022. No duelo entre Corinthians e Boca Juniors, na Neo Química Arena, um torcedor do Boca foi detido após cometer injúria racial contra corintianos. Em outras rodadas, foram identificados outros casos de racismo em jogos envolvendo Palmeiras (diante do Emelec), Fortaleza (River Plate), Red Bull Bragantino (Estudiantes), Flamengo (Universidad Católica) e Fluminense (Olimpia e Millonarios).

Na ocasião, os torcedores racistas das equipes argentinas foram suspensos e impossibilitados de ingressar em qualquer estádio da capital argentina. Leandro Ponzo, do Boca Juniors, não poderá assistir aos jogos presencialmente por quatro anos, enquanto Gustavo Sebastián Gómez, do River Plate, por dois.

No último mês, a Conmebol prometeu mudanças no regulamento de seus torneios, além se comprometer "a elaborar e implementar novos programas e ações que visem banir definitivamente este problema do futebol sul-americano". No caso desta quarta-feira, os torcedores ainda não foram identificados.

Com a bola rolando, o Ceará venceu o Independiente por 2 a 0, com gols de Rodrigo Lindoso e Mendonza, e garantiu sua vaga nas oitavas de final da Copa Sul-Americana pela primeira vez em sua história. A equipe brasileira teve a melhor campanha geral, com 100% de aproveitamento nos seis jogos que disputou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.