Ceará perde do Mogi Mirim, não vence há 12 jogos e segura a lanterna da Série B

A falta de controle emocional continua atrapalhando o Ceará na sua luta para deixar a lanterna do Campeonato Brasileiro da Série B. Neste sábado, na Arena Castelão, em Fortaleza, mesmo com muita disposição, acabou perdendo para o Mogi Mirim por 3 a 2, no fechamento da 14.ª rodada. Esta derrota ampliou para 12 o número de jogos sem vitórias do time cearense, lanterna com nove pontos. Em franca recuperação, o clube paulista ainda está na zona de rebaixamento, mas com 13 pontos, em 17.º lugar, e com quatro partidas sem derrota.

Estadão Conteúdo

25 de julho de 2015 | 23h08

No primeiro tempo, o Ceará foi quem teve mais domínio de jogo, maior volume e criou as melhores chances. Mesmo assim, quem saiu na frente foi o Mogi Mirim, aos 15 minutos, com Rivaldo Júnior, mostrando a eficiência do time paulista. Após levantamento de Serginho na lateral esquerda, o atacante subiu de cabeça com Gilvan e ganhou a parada. A bola entrou no canto direito de Tiago.

Antes disso, o Ceará tinha, entre outras chances, acertado a trave direita do goleiro Daniel, em um desvio de Fabinho após lançamento à meia distância de Uilliam Corrêa. Mas depois do gol sofrido, o time da casa perdeu o controle emocional e não "acertou o pé".

O Ceará voltou no segundo tempo com muita disposição, mais adiantado e na pressão constante. E sob os gritos de apoio de sua torcida chegou ao empate. Como as penetrações não davam certo, o meia Ricardinho arriscou de longe. Ele soltou a bomba, que explodiu no travessão e quicou meio metro atrás da linha de gol. O auxiliar Marcos Rocha de Amorim, da Bahia, viu o lance e correu para o centro do gramado. Gol legal aos sete minutos.

Parecia que seria o início de uma mudança, mesmo porque a torcida empurrava o time que respondia com muita dedicação em campo. Mas o inesperado aconteceu aos 16 minutos. A bola saiu, de novo, dos pés de Serginho, que na parte defensiva fez um lançamento longo para Geovane do lado direito, saindo da defesa para o ataque. Ele caminhou com a bola até a entrada da área, quando fez o passe para o matador Rivaldo Júnior, que chutou forte no canto direito de Tiago.

O mesmo descontrole emocional visto no primeiro tempo voltou a dominar os jogadores cearenses. O técnico Geninho ainda tentou colocar o time no ataque com as entradas de três atacantes: Muller Fernandes, Siloé e Rodrigo Silva. Mas o gol sairia somente em num lance individual. Aos 33 minutos, Ricardinho se posicionou para cobrar falta pelo lado direito da grande área, tendo na frente apenas dois jogadores na barreira. Ele bateu de "três dedos" entre a barreira e a bola desviou em Magal antes de entrar. Tudo igual: 2 a 2.

Mas quando a fase é ruim, é preciso muito mais do que garra. Aos 39 minutos, o Mogi Mirim ficou na frente em cobrança de falta de Edson Ratinho. Ele encobriu a barreira e o goleiro Tiago demorou para saltar na bola. Não houve reação, afinal sobrou desespero.

Nesta terça-feira acontece a 15.ª rodada completa com 10 jogos. O Ceará vai enfrentar o ABC, em Natal, às 19h30, mesmo horário em que o Mogi Mirim vai receber o Bragantino.

FICHA TÉCNICA

CEARÁ 2 x 3 MOGI MIRIM

CEARÁ - Tiago; Roniery, Sandro, Gilvan e Victor Luís; Baraka, Uillian Correia, Ricardinho e Bernardo (Siloé); Rafael Costa (Rodrigo Silva) e Fabinho (Muller Fernandes). Técnico: Geninho.

MOGI MIRIM - Daniel; Edson Ratinho, Fábio Sanches, Paulão e Luan; Magal, Hygor (Franco), Serginho e Memo (Motta); Geovane e Rivaldo Júnior (Ortigoza). Técnico: Sérgio Guedes.

GOLS - Rivaldo Júnior, aos 15 minutos do primeiro tempo; Ricardinho, aos 7 e aos 33, Rivaldo Júnior, aos 16, e Edson Ratinho, aos 39 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Baraka, Sandro e Ricardinho (Ceará); Edson Ratinho, Serginho e Magal (Mogi Mirim).

ÁRBITRO - Arilson Bispo da Anunciação (BA).

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Arena Castelão, em Fortaleza (CE).

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSérie BCearáMogi Mirim

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.