Felipe Santos/Ceará S.C
Felipe Santos/Ceará S.C

Ceará quebra jejum e vence clássico contra o Fortaleza

Vitória contou com o dedo de Guto Ferreira, que foi decisivo ao colocar Cléber e Rick, autores de dois gols no clássico

Redação, Estadão Conteúdo

01 de agosto de 2021 | 23h00

O Clássico Rei do futebol cearense, disputado desde 1918, tinha tudo para terminar igual neste domingo à noite na Arena Castelão. Mas o dedo do técnico Guto Ferreira acabou sendo decisivo, porque ele acertou nas substituições que fez durante o segundo tempo. O jogo estava empatado por 1 a 1, mas Cléber e Rick entraram e marcaram os gols que determinaram o placar final: 3 a 1.

Com a vitória, o Ceará derrubou um jejum contra o rival, porque não vencia há cinco jogos - duas derrotas e três empates. A conquista foi muito comemorada pelo lado alvinegro que fechou a 14.ª rodada do Campeonato Brasileiro, com 22 pontos, na sétima posição. Apesar do tropeço, o Fortaleza aparece em terceiro lugar, com 27 pontos, um pouco abaixo dos líderes: o Atlético-MG (31) e o Palmeiras (32).

Os dois rivais se encontraram em alta na temporada. O Ceará está agora invicto há dez jogos - com quatro vitórias e seis empates - e o Fortaleza vinha de cinco vitórias seguidas, quatro pelo Brasileiro e uma pela Copa do Brasil, em cima do CRB por 2 a 1 pelas oitavas de final. O tricolor usou um uniforme diferente, todo branco, com faixas tricolores na frente da camisa especial em comemoração aos 30 ano da TUF - Torcida Uniformizada do Fortaleza.

Foi o Fortaleza quem começou melhor, com mais velocidade e mais à vontade em campo. Aos 10 minutos abriu o placar. Após escanteio, o zagueiro Marcelo Benevenuto subiu e testou firme, o goleiro Richard rebateu e a bola ficou para Tinga, livre, só dar um toque para as redes sobre o goleiro que estava caído no chão.

O Ceará apresentava muita lentidão para sair da defesa, mesmo assim chegou ao empate aos 36 minutos. Lima foi ao fundo pelo lado direito, cruzando rasteiro e forte. O goleiro Felipe Alves saltou e resvalou na bola, mas ela seguiu e praticamente bateu no corpo de Kelvyn que deixou tudo igual.

No segundo tempo, o técnico Guto Ferreira deixou o Ceará mais ofensivo. Tirou o meia Kelvyn para a entrada do atacante Cléber, que pela alta estatura passou a ser uma opção pelo jogo aéreo. Mas o primeiro chute perigoso foi do Fortaleza, aos três minutos. Matheus Vargas arriscou de longe, a bola ganhou efeito e Richard espalmou por cima do travessão.

O que parecia o prenúncio de um grande duelo, se transformou num jogo sem emoção. Mas na alterações, Guto Ferreira se deu melhor porque dois jogadores que entraram marcaram dois gols. O segundo do Ceará saiu aos 35 minutos, após levantamento na área e dois toques de Marcelo Benevenuto. Mas a sobra ficou para Cléber que subiu nas costas de Wellington Paulista e cabeceou para as redes. O árbitro alagoano Denis da silva Ribeiro Serafim anotou a falta. O lance, porém, foi checado no VAR e depois de quatro minutos acabou confirmado.

Este gol, até pelas circunstâncias, desestabilizou os jogadores do Fortaleza e o Ceará aproveitou para ampliar o placar aos 40 minutos. Rick foi lançado pelo lado direito, invadiu a área, passou por um defensor e chutou rasteiro. A bola passou entre as pernas de Felipe Alves e ultrapassou a linha de gol em poucos centímetros. Não havia mais tempo e maneira de reação.

No meio de semana, o Fortaleza faz o jogo de volta com o CRB pela Copa do Brasil. Como venceu em casa por 2 a 1 pode empatar em Maceió (AL) para chegar às quartas de final. No Brasileiro vai pegar o Palmeiras, sábado, às 21 horas, em São Paulo. No domingo, o Ceara recebe o Atlético-GO, a partir das 18h15.

FICHA TÉCNICA:

CEARÁ 3 x 1 FORTALEZA

CEARÁ - Richard; Marlon (Buiú), Messias, Gabriel Lacerda e Bruno Pacheco; Willian Oliveira (Fabinho), Fernando Sobral, Kelvyn (Cléber), Vina (Jorginho) e Lima; Mendonza (Rick). Técnico: Guto Ferreira.

FORTALEZA - Felipe Alves; Tinga, Marcelo Benevenuto e Titi (Igor Torres); Yago Pikachu, Matheus Jussa, Éderson (Felipe), Matheus Vargas (Romarinho) e Lucas Crispim; Robson (Wellington Paulista) e David (Luiz Henrique). Técnico: Juan Pablo Vojvoda.

GOLS - Tinga, aos 10, e Kelvyn, aos 36 minutos do primeiro tempo. Cléber, aos 35, e Rick, aos 40 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Marlon e Gabriel Lacerda (Ceará); Matheus Vargas, Titi e David (Fortaleza).

ÁRBITRO - Denis da Silva Ribeiro Serafim (AL).

RENDA E PÚBLICO - Portões fechados.

LOCAL - Arena Castelão, em Fortaleza (CE).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.