Israel Simonton / Ceará SC
Israel Simonton / Ceará SC

Ceará tenta superar defesa desfigurada para pontuar contra o Palmeiras

Eduardo Brock jogará na zaga e Cristovam, lateral-direito de origem, no lateral esquerda

Redação, Estadão Conteúdo

02 de novembro de 2019 | 13h46

Mesmo sem perder há três jogos, com duas vitórias e um empate, o Ceará continua sob grande risco de descenso no Campeonato Brasileiro, em 15.º lugar, com 33 pontos, a três do Fluminense, o primeiro time dentro da zona da degola. Dar continuidade à reação não será uma missão fácil. Primeiro, porque o próximo adversário é o vice-líder Palmeiras, em jogo marcado para as 19 horas deste sábado. Além disso, o time irá a campo sem três titulares do sistema defensivo.

O zagueiro Tiago Alves ainda não está recuperado de uma lesão no joelho direito e continua de fora. Juntam-se a ele o também zagueiro Luiz Otávio, poupado por cansaço muscular, e o lateral-esquerdo João Lucas, vetado em razão de uma lesão na coxa. As baixas preocupam o técnico Adilson Batista, que considera a marcação como ponto-chave para que seu time tenha alguma chance contra o Palmeiras.

"Como eu já disse, vai ser outra pedreira. Teremos dificuldade, pela nossa esquerda vão subir Dudu, o Willian, jogadores de qualidade.Então, não podemos deixar eles jogaram, temos que anular, com marcação forte, ao mesmo tempo em que tentaremos fazer o nosso jogo", avaliou.

Adilson chegou a afirmar que Eduardo Brock seria utilizado na lateral esquerda, assim como ocorreu durante a vitória por 2 a 0 sobre o Fluminense, mas a situação de Luiz Otávio o obriga a escalar Brock como parceiro de Valdo no meio da defesa. A vaga na esquerda ficará, portanto, com Cristovam, que é lateral-direito de origem e será improvisado no lado oposto ao que está acostumado a atuar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.