Ceará vende camisas para manter ídolo

Enquanto o Real Madrid arrecada milhões de dólares com a venda de camisas de suas principais estrelas, como Beckham e Ronaldo, um time nordestino se vira, de uma maneira inovadora, para manter seu maior ídolo. A diretoria do Ceará espera vender 2500 camisas oficiais do clube ao preço unitário de R$ 25,00 para garantir a permanência do atacante Sérgio Alves na temporada 2004.O objetivo é arrecadar R$ 62.500,00 para completar os R$ 90 mil que ainda faltam para quitar débito da última passagem de Sérgio Alves pelo time cearense, no Campeonato Brasileiro da Série B, e acertar seu contrato. Em apenas dois dias foram vendidas, segundo os dirigentes, 1.100 unidades. Como a estratégia está dando certo, o plano é apresentar Sérgio Alves junto aos novos reforços do elenco, nesta sexta-feira, cumprindo promessa do presidente Alexandre Frota, reeleito por mais dois anos.Sérgio Alves é ídolo na capital cearense, onde é chamado de "carrasco do Tricolor", por ter marcado muitos gols contra o Fortaleza, o principal rival do Ceará. Mas, pelo menos três clubes tinham interesse nele para a disputa do Paulistão de 2004: Marília, Ituano e Guarani. No começo da semana, Sérgio Alves chegou a ser anunciado como reforço do Paysandu, negócio que foi abortado pela campanha inusitada do Ceará.O pernambucano Sérgio Alves de Lima tem 33 anos. Já passou em diversos clubes, como Sport, Santa Cruz, Fluminense, Bahia e Guarani. Neste ano, ele viveu um fato curioso. Depois de passar pela Ponte Preta, marcando 6 gols na Série A, foi para o Ceará na Série B. Com a eliminação dos cearenses, defendeu o Ipatinga-MG na Série C, tornando-se o único jogador a disputar as três divisões do Campeonato Brasileiro de 2003.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.