Matheus Andrade/Photocamera
Matheus Andrade/Photocamera

Celso Barros admite oferta do Flamengo por Conca, do Fluminense

Segundo o presidente da Unimed-Rio, o clube das Laranjeiras não aceitou a proposta inicial, mas garante que pressionará por acordo

Estadão Conteúdo

04 de janeiro de 2015 | 20h05

Um dos principais nomes do elenco do Fluminense, o meia Conca pode trocar o clube das Laranjeiras pelo Flamengo, seu maior rival. Neste domingo, o presidente da Unimed-Rio, Celso Barros, confirmou o interesse rubro-negro no argentino e indicou que vai pressionar o clube para aceitar a proposta.

"Realmente tive conversas com o Rodrigo (Caetano), que é meu amigo, e o (Alexandre) Wrobel, que eu não conhecia, mas que me pareceu uma pessoa muito distinta e elegante. Eles procuraram o Fluminense. Fui informado (pelo Flu) de que o Flamengo teria encaminhado uma proposta e que de pronto eles teriam recusado essa proposta", contou Celso Barros, à Rádio Tupi.

A Unimed rompeu no fim do ano passado a parceria que tinha com o Fluminense. Além de patrocinar o clube, a cooperativa de saúde também tem direitos econômicos sobre os principais jogadores do elenco - entre eles Conca - e paga os direitos de imagem destes atletas.

Na entrevista, Celso Barros quis questão de dizer que a Unimed não paga salários a Conca, mas que é responsável pela maior parte dos seus vencimentos. Por isso, cobrou que o Fluminense repense a decisão de não vendê-lo.

"É muito fácil dizer que não liberam o Conca pagando o que eles pagam. Então é fácil esse discurso. Pelo Fluminense, eles ficariam com o Conca por 15 anos. Vamos ver se eles (o Fluminense) gostariam de sentar na mesa para discutir essa questão", reforçou Celso Barros.

O médico também deixou claro que não pretende mais pagar por atletas que não expõem a marca da Unimed. "Temos interesse em resolver, porque hoje não temos mais nenhuma exposição de imagem na camisa do Fluminense. A situação tem que ser resolvida com o Fluminense, que tem os direitos federativos. Mas é evidente que não temos interesse de pagar jogadores que não nos dão exposição na camisa."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.