Jefferson Bernardes/Divulgação
Jefferson Bernardes/Divulgação

Celso Roth promete Internacional forte no Mundial de Clubes 2010

'Vamos chegar 100% física e taticamente, com jogadas ensaiadas', acredita o técnico

AE, Agência Estado

08 de dezembro de 2010 | 13h29

PORTO ALEGRE - A delegação do Internacional embarcou nesta quarta-feira para Abu Dabi, confiante na conquista do título no Mundial de Clubes.

Veja também:

link Delegação do Inter embarca confiante para Abu Dabi

Nem mesmo os resultados ruins na reta final do Campeonato Brasileiro, quando venceu apenas duas das últimas nove partidas, tiraram a certeza da equipe gaúcha de que fará um bom trabalho nos Emirados Árabes Unidos - a estreia será apenas em 14 de dezembro, contra adversário ainda indefinido.

"O Internacional é tão forte quanto aquele [da conquista da Libertadores, em agosto]. Estamos preparados e vamos chegar 100% física e taticamente, com jogadas ensaiadas. Preparar o time durante o Brasileirão foi o melhor que poderíamos fazer, embora seja difícil explicar ao torcedor o porque de alguns resultados piores", declarou o técnico Celso Roth, em entrevista ao site oficial da Fifa, antes do embarque para Abu Dabi.

A equipe brasileira chega ao Mundial em Abu Dabi como uma das favoritas ao título, ao lado da Internazionale de Milão, da Itália. No entanto, de acordo com Roth, se engana quem acha que o caminho até a decisão será facilitado pela fragilidade dos outros adversários - o Inter estreia já na semifinal, na próxima terça-feira, diante do vencedor da partida entre Pachuca, do México, e Mazembe, do Congo.

"Após o último jogo do Brasileiro passamos a focar totalmente no Mundial. Agora vamos conversar com os jogadores, mostrar vídeos do Pachuca e do Mazembe e treinar para um jogo que será certamente muito difícil", afirmou Roth.

O Inter luta para chegar ao seu segundo título mundial, já que em 2006 foi campeão diante do Barcelona. A campanha da primeira conquista, aliás, está servindo de exemplo para os jogadores lutarem pelo bicampeonato.

"Os exemplos servem para provar as dificuldades que existem no futebol. Por isso temos que nos espelhar em nós mesmos, com a confiança de que podemos vencer. O maior respeito que podemos ter por um adversário é trabalhar muito para vencê-lo", concluiu Roth.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.