Miguel Riopa/AFP
Miguel Riopa/AFP

Celta perde pênalti, mas encerra jejum e arranca empate com o Valencia

Mesmo após Fabian Orellana desperdiçar um pênalti, que para nas mãos de Diego Alves, Celta fica no 1 a 1 e chega à nona colocação

Estadão Conteúdo

10 de janeiro de 2015 | 19h09

Foram 727 minutos sem balançar a rede, até que Orellana marcasse neste sábado. O longo jejum de gols do Celta de Vigo pelo Campeonato Espanhol finalmente teve um fim, mas não foi desta vez que a equipe voltou a vencer. Em casa, ficou no empate por 1 a 1 diante do Valencia, pela 18.ª rodada. Diego Alves ainda pegou um pênalti no primeiro tempo, quando o jogo estava 0 a 0.

O resultado levou o Valencia a 35 pontos, na quarta posição, três atrás de Barcelona e Atlético de Madrid e sete atrás do Real Madrid. No próximo sábado, a equipe terá pela frente o Almería, em casa. Já o celta é o nono colocado, com 21 pontos, e pegará o Espanyol também no sábado, mas fora de casa.

Depois de muito tempo sem balançar a rede, o Celta teve uma grande chance de acabar com o jejum logo aos 28 minutos deste sábado, quando Otamendi fez pênalti em Charles. Orellana bateu forte no canto direito de Diego Alves, que voou para a bola e fez linda defesa.

O lance deu moral para o Valencia, que abriria o placar ainda no primeiro tempo, aos 43 minutos. O brasileiro naturalizado espanhol Rodrigo arrancou pelo meio e encheu o pé para marcar. O empate e o fim do jejum só aconteceriam na etapa final. Aos 16 minutos, após escanteio da esquerda e desvio na primeira trave, Orellana selou o empate.

Em outro jogo já encerrado deste sábado pelo Espanhol, o Málaga recebeu o Villarreal e não passou de um empate por 1 a 1. Jonathan dos Santos abriu o placar para os visitantes, mas Amrabat deixou tudo igual. O resultado deixou o Málaga em sétimo, com 31 pontos, um atrás do Villarreal, que é o sexto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.