Divulgação
Divulgação

Ceni lança linha de relógios; modelo mais caro custa R$ 4,9 mil

Modelos fazem homenagem aos 25 anos do goleiro no São Paulo

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

05 de outubro de 2015 | 19h33

O goleiro Rogério Ceni lançou nesta segunda-feira em São Paulo uma linha especial de relógios em homenagem aos 25 anos de carreira dele no clube do Morumbi. Produzidos pela Technos, os acessórios fazem menção a diferentes momentos da carreira do jogador e vão ter preços entre R$ 399 até R$ 4,9 mil.

O modelo mais básico é dedicado ao 100º gol de Rogério Ceni, marcado em março de 2011 em jogo contra o Corinthians, pelo Campeonato Paulista. As cores em dourado, preto e vermelho relembram o uniforme utilizado pelo jogador naquela ocasião.

A outra versão do relógio traz na parte interna a palavra "capitão" e faz referência ao recorde de Ceni registrado no Livro dos Recordes como líder da equipe, cargo que ocupa desde 1990. O acessório virá ainda com a tarja de capitão do goleiro.

Já a terceira edição será uma série limitada. Cada relógio terá o número de um gols do goleiro e o conjunto virá com uma luva e mais uma medalha. A Technos vai produzir uma quantidade de relógios referente ao número de gols que Ceni marcar até o fim da carreira. A contagem atual é de 131.

Ceni participou do processo de elaboração e aprovou todos os modelos dos relógios. O clube prepara para o fim do ano outros eventos para comemorar a aposentadoria do jogador de 42 anos e pretende marcar para o Morumbi um amistoso contra algum time internacional. O goleiro tem no máximo mais 13 jogos como profissional antes de se despedir do futebol.

Neste ano Rogério Ceni também participou de um jogo com torcedores, em iniciativa inédita do clube. Em junho, 44 são-paulinos esgotaram em apenas três dias pacotes de R$ 4,9 mil  para atuarem ao lado do goleiro em partidas no Morumbi. O projeto terá outra edição em dezembro, logo após o adeus do jogador aos gramados.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSão Paulo FCRogério Ceni

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.