Ceni perde pênalti e São Paulo é derrotado no Canindé

Com o resultado, time tricolor é o vice-lanterna da competição

DEMÉTRIO VECCHIOLI, Agência Estado

11 de agosto de 2013 | 20h25

SÃO PAULO - No duelo dos goleiros artilheiros, neste domingo, no Canindé, Rogério Ceni foi vilão e Lauro voltou a ser herói. O

Com a derrota, segue a sequência de jogos sem vitória do São Paulo, que agora chega a 12 partidas oficiais. O último resultado positivo foi em maio, num 5 a 1 sobre o Vasco. Na ocasião, Autuori treinava o time carioca. Desde que ele voltou ao Morumbi a equipe perdeu quatro vezes e empatou uma pelo Brasileirão. Na excursão pela Europa e pelo Japão, foram quatro jogos, com três derrotas e só uma vitória (sobre o Benfica). Diante do Bayern de Munique, Rogério Ceni também perdeu um pênalti.

Já a Portuguesa encerra uma série de sete jogos sem vitórias. Com 12 pontos, o time lusitano ganhou duas posições e agora está em 17º, na beira de deixar a zona de rebaixamento. Na quarta, visitará o Coritiba, terceiro colocado. Já o São Paulo, 19º com nove pontos em 13 jogos, segue em crise para enfrentar o Atlético-PR, quinta, no Morumbi. Para a partida, não terá Douglas, suspenso pelo terceiro cartão amarelo.

O JOGO

Ainda procurando o time ideal, Paulo Autuori surpreendeu na escalação tricolor. Principalmente com Osvaldo no banco e Aloísio no time titular. No meio-campo, nem Maicon nem Paulo Henrique Ganso, mas sim Lucas Evangelista. Reinaldo ganhou a posição de Clemente Rodríguez na lateral esquerda. E, na zaga, a falta de peças fez Rodrigo Caio ser improvisado.

Mais do que a formação tática, o primeiro tempo foi marcado pela vontade das duas equipes. Com ambas precisando da vitória para fugir da zona de rebaixamento, o jogo foi franco. Ajudou para isso também a fragilidade das duas defesas.

Logo com 1 minuto, Diogo teve espaço na área e chutou para boa defesa de Rogério Ceni. Aos 9, o São Paulo respondeu com Aloísio. Desta vez, porém, foi o goleiro da Portuguesa que trabalhou muito bem.

Mas a melhor chance tricolor foi de Luis Fabiano. Aos 24, Aloísio apareceu bem pela direita, foi à linha de fundo e rolou para trás. O centroavante pegou de canela e sequer conseguiu finalizar.

Num momento em que era melhor, o São Paulo levou o primeiro gol. Aos 37, após cobrança de escanteio, Moisés Moura cabeceou com perigo. Rogério Ceni agarraria a bola, mas Douglas tirou na frente dele, dando rebote para Diogo marcar.

Diferente do habitual, desta vez Autuori não mexeu no time no intervalo. E foi premiado. A 25 segundos de jogo, Lucas Evangelista fez linda jogada pela esquerda, tirou de dois marcadores e bateu na saída de Lauro.

Dominando o jogo, o São Paulo teve ótimo oportunidade de fazer o segundo quando Aloísio levou uma rasteira de Moisés Moura na área. Rogério Ceni foi para a cobrança de pênalti e bateu em cima de Lauro. O goleiro da Lusa, herói do empate contra o Flamengo, quarta, quando marcou um gol, agora é o único que já pegou duas cobranças de Rogério. Ele já havia feito isso em 2005, pela Ponte Preta. Lauro não levou nenhum dos 110 gols que o goleiro-artilheiro fez em jogos oficiais.

O São Paulo, que dominava a partida, não se deixou desanimar e continuou pressionando. Aloísio, o melhor tricolor no jogo, infernizava a zaga pela direita. Depois de um cruzamento dele, aos 19, Luis Fabiano cabeceou para fora.

Buscando a vitória, Autuori mandou a campo Ganso e Osvaldo nas vagas de Jadson e Fabrício. Ele só não contava que a Lusa fosse encontrar espaços para voltar à frente. Aos 33, a zaga tricolor afastou mal uma cobrança de escanteio e Diogo pegou em cheio na bola para estufar a rede tricolor.

FICHA TÉCNICA:

PORTUGUESA 2 X 1 SÃO PAULO

PORTUGUESA - Lauro; Luis Ricardo, Moisés Moura, Valdomiro e Rogério; Willian Arão (Corrêa), Bruno Henrique, Moisés e Souza (Jean Mota); Diogo e Gilberto (Bruno Moraes). Técnico - Guto Ferreira.

SÃO PAULO - Rogério Ceni; Douglas, Rodrigo Caio, Rafael Toloi e Reinaldo; Wellington, Fabrício, Lucas Evangelista e Jadson (Paulo Henrique Ganso); Aloísio e Luis Fabiano. Técnico - Paulo Autuori.

GOLS - Diogo, aos 37 minutos do primeiro tempo. Lucas Evangelista, a 25 segundos, e Diogo, aos 33 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Rodrigo Nunes de Sá (RJ).

CARTÕES AMARELOS - Douglas (São Paulo) e Rogério (Portuguesa).

RENDA - R$ 274.800,00.

PÚBLICO - 8.593 pagantes.

LOCAL - Estádio do Canindé, em São Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.