Ceni reafirma amor ao São Paulo e pede mais festas

Com a bola rolando no Morumbi nesta quarta-feira, Rogério Ceni pouco apareceu. O goleiro precisou fazer não mais do que três defesas fáceis e buscar uma bola no fundo das redes, no gol de empate do Atlético-MG. Nenhuma falta, nenhum pênalti para ele bater. Assim, a festa ficou concentrada antes e, principalmente, depois da partida.

AE, Agência Estado

07 de setembro de 2011 | 19h21

O goleiro subiu ao campo para seu milésimo jogo acompanhado de suas filhas. Foi recepcionado por um corredor formado por seus colegas de time, todos vestindo a camisa comemorativa que Rogério usaria na partida. Ovacionado pela torcida, recebeu uma placa das mãos do presidente Juvenal Juvêncio e do atacante Luis Fabiano.

Depois do apito final, partiu para uma volta olímpica, parando primeiro no distintivo do clube. Ali, além da chuva de papel nas cores do clube, usou o microfone do estádio para agradecer a presença de mais de 60 mil são-paulinos ao Morumbi. Enquanto isso, nenhum torcedor arredava pé das arquibancadas. "Pra mim é minha historia de vida, esse é meu clube, esse é o clube que sempre amei jogar", revelou Ceni.

Durante o giro ao redor do gramado, o goleiro falou diversas vezes com a imprensa. Primeiro, agradeceu seu pai, que o acompanhou de Mato Grosso ao São Paulo, exatamente num 7 de setembro, há 21 anos. "Meu pai foi um grande cara, sempre me incentivou. Foi ele que me trouxe aqui. Ele é o grande orgulho da minha vida, meu grande ídolo. Minha mãe, que está no céu, assistiu um jogo só meu aqui em vida, os outros 999 ela está lá de cima sempre abençoando", disse Ceni.

O goleiro também pediu que momentos como os vividos no Morumbi nesta tarde de feriado sejam repetidos mais vezes. "Festa bonita como essa tinha que ter muito mais vezes no futebol brasileiro. A casa cheia é o motivo para o futebol existir. Futebol é entretenimento. Ele é trabalho para quem está no campo, mas é entretenimento para quem está no estádio", lembrou.

Ceni também falou sobre o jogo, que colocou o São Paulo no liderança do Brasileirão. "Aproveitamos a oportunidade. Tínhamos deixado escapar outros jogos, mas hoje não deixamos", afirmou o goleiro, relembrando os seguidos tropeços do time.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.