Centroavante: a preocupação do Santos

O técnico Emerson Leão só irá definir nesta sexta-feira o time do Santos para a partida de domingo contra o Criciúma, pela sétima rodada do Campeonato Brasileiro. Sua maior preocupação está no comando do ataque e dificilmente William será o substituto de Ricardo Oliveira, que cumpre suspensão automática. O jogador não está treinando, sob alegação de uma contusão na coxa, e o treinador não escondeu sua insatisfação com esse caso, revelando que será muito difícil escalar o centroavante por não ter treinado esta semana. Há informação de que William poderia estar negociando sua saída da Vila Belmiro.Leão disse também que não pretende escalar Nenê no lugar de Ricardo Oliveira e, nesse caso, sobra Douglas. "Estamos com problemas!", admite o treinador, que continua escondendo a escalação do time. O certo é que Elano voltará à esquipe, depois de ter cumprido suspensão automática e o substituto de Diego pode ser Nenê. Tudo isso será esclarecido no coletivo programado para a tarde desta sexta, quando Robinho já deverá ter regressado da seleção.Se não definiu o time para o jogo contra o Criciúma, Leão sabe que precisa da vitória para melhorar o momento do Santos no Brasileiro."Com o respeito ao adversário, temos equipe para vencê-lo", disse.Vencendo o time catarinense, os santistas pegarão o Cruzeiro no próximo compromisso, podendo chegar mais perto da liderança do campeonato.Antes da partida contra a equipe mineira, o Santos pegará o uruguaio Nacional no dia 7 de maio, pela Libertadores.O treinador santista preferiu não reclamar da maratona de jogos. "Vou ficar preocupado quando o time estiver parado", disse ele. "Nós colocamos liberdade na cabeça deles, passando que o hábito de jogar futebol é uma maravilha, não é sacrificante mesmo com a maratona". Segundo Leão, disputar várias competições é positivo para um time grande como o Santos e não há do reclamar.TORCIDA - Os jogadores do Santos folgam nesta quinta-feira e vão assistir à partida entre a seleção brasileira e a mexicana para torcer pela dupla Robinho-Diego. Satisfeito com a convocação dos amigos, Léo brincou com o silêncio que tem marcado os treinamentos do time desde que os dois se apresentaram. "Eles tiram o sossego de qualquer um e temos que agradecer o professor Parreira por tê-los convocado e dado esses dias de paz para a gente". Comentou que os dois "são excelentes companheiros, estão fazendo muita falta aqui" e, continuando em tom de brincadeira, emendou: "mas se tiverem de ficar mais uns dois dias lá, não tem problema".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.