DIvulgação
DIvulgação

Centurión sofre para se adaptar ao País e deixa Muricy preocupado

Idioma e entrosamento com o time barram evolução do argentino

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

06 Março 2015 | 14h30

Um possível titular do São Paulo para o clássico com o Corinthians, no domingo, tem preocupado bastante o técnico Muricy Ramalho. A dificuldade do argentino Centurión na adaptação ao Brasil faz o comandante tricolor ser precavido antes de utilizá-lo no time e monitorar o trabalho de acompanhamento psicológico do jogador sobre a vida dele também fora de campo.

O meia veio do Racing e chegou ao clube no começo do ano. A timidez e a dificuldade com o idioma levam Centurión a falar pouco em campo e pode prejudicar até o rendimento dele no time. "Ele está com muita dificuldade de adaptação, por causa do idioma e do entrosamento. Ele não é de falar muito e isso traz um prejuízo grande dentro de campo. É preciso se soltar e estamos tentando ajudar", disse o técnico nesta sexta-feira.

O atacante Luis Fabiano, que jogou durante seis anos no Sevilla, também contou ter dificuldade para falar com o companheiro até mesmo em espanhol. "Ainda assim é difícil, porque ele ainda está muito tímido. Mas é normal, já que existe o tempo de adaptação. Português ele não entende", contou o camisa 9.


Muricy explicou que a dificuldade de Centurión em se adaptar ao Brasil pode até mesmo tirar o argentino do clássico pelo Campeonato Paulista. Apesar de treinar a semana inteira como titular, o risco de jogar mal e se expôr demais, pode levar o técnico a poupar o novato. O meia já teve uma passagem rápida pela Itália, onde defendeu o Genoa, e voltou ao seu país por não ter se adaptado.

"Estamos olhando com carinho. Temos o nosso trabalho de psicologia e preocupados em todos os sentidos. Já que ele tem dificuldade, não podemos 'queimar' o jogador. Ele não pode se sentir sozinho", disse Muricy. O técnico disse que vai esperar por mais tempo a adaptação dele ao Brasil e tem acompanhado o cotidiano do argentino para saber das companhias e quais lugares costuma frequentar.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.