JF Diorio|Estadão
JF Diorio|Estadão

Centurión vibra com volta por cima: 'Sei que não estava bem'

Atacante argentino volta a marcar e ganha espaço no São Paulo

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

30 de abril de 2016 | 07h00

Uma rápida demonstração de como se dança cumbia, ritmo típico latino, marcou a conquista pessoal do atacante Ricky Centurión no São Paulo. O primeiro dos dois gols do argentino mereceu a celebração especial na noite de quinta-feira, quando o time bateu o Toluca por 4 a 0, em partida que marcou a superação de problemas pessoais do jogador. 

Centurión não marcava desde o ano passado e em partidas recentes, havia sido vaiado pela torcida. "Sei que não estava jogando bem. Aceito as críticas e por isso fiquei emocionado na comemoração do primeiro gol. Foi uma maneira de extravasar", afirmou.O argentino teve o nome gritado no Morumbi durante o jogo pela Copa Libertadores. A contratação mais cara para a temporada passada, R$ 14 milhões, Centurión ainda não rendeu o esperado no clube.

O desafio de se adaptar ao Brasil e o tratamento de câncer da namorada atrapalharam o rendimento em campo. A vinda do técnico argentino Edgardo Bauza, em janeiro deste ano, era uma das apostas de que Centurión poderia produzir mais.

Apesar dessa expectativa e da vaga de titular no início da temporada, a evolução demorou. A resposta do argentino veio em uma partida em que provavelmente ele não teria chance. "O futebol tem coisas que são difíceis de explicar. Se fosse tudo normal, Centurión ficaria fora até do banco", disse Bauza. Centurión só foi titular porque Calleri estava suspenso e o substituto imediato, Alan Kardec, teve uma indisposição intestinal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.