Cercado pela polícia, protesto se aproxima do Maracanã

Governo do Rio de Janeiro convocou agentes da Força Nacional para reforçar a segurança

MARCELO GOMES E TIAGO ROGERO, Agência Estado

30 de junho de 2013 | 18h21

RIO - Faltando menos de uma hora para o início do jogo entre Brasil e Espanha, pela final da Copa das Confederações, os cerca de cinco mil manifestantes que fazem protesto neste domingo, no Rio, se concentram a 400 metros do Maracanã. Neste momento, eles estão no entroncamento da Rua São Francisco Xavier com a Avenida Maracanã. Centenas de policiais militares do Batalhão de Choque e agentes da Força Nacional de Segurança fecham as quatro pistas da Avenida Maracanã para impedir que os manifestantes avancem em direção ao estádio.

Os policiais do Batalhão de Choque usam escudos, capacetes e cassetetes. Os agentes da Força Nacional, escudos e máscaras antigás. No trecho que separa o protesto do estádio há um caveirão (carro blindado da PM) e policiais da cavalaria da PM em pelo menos quatro barreiras. Não houve confronto até o momento.

Os manifestantes gritam palavras de ordem como "Não vai ter Copa", "A verdade é dura / a PM apoiando a ditadura" e "Cabral é ditador", em referência ao governador do Rio, Sérgio Cabral Filho (PMDB).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.