Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Cérebro da seleção, Coutinho celebra transpiração em goleada sobre o Peru

O meia do Barcelona destaca a entrega e a dedicação da equipe nos 5 a 0 sobre o Peru

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

23 de junho de 2019 | 09h00

O meia Philippe Coutinho afirmou que uma das razões da goleada da seleção brasileira sobre o Peru, por 5 a 0, foi a entrega da equipe e a dedicação em todas as jogadas. A afirmação parece curiosa, considerando-se que o jogador do Barcelona é o principal responsável pela criação de jogadas. Ele afirma que o time vinha conseguindo criar jogadas nos dois primeiros jogos, mas faltava acertar as finalizações.

“A gente conseguiu fazer os gols, o que deu confiança para o restante da partida. Desde o início, a gente estava se entregando em todas as bolas. Às vezes, a gente não joga como muitos esperam, mas estamos focados. O grupo está fechado para fazer uma grande competição”, afirmou o meia na saída da Arena Corinthians na noite deste sábado.

Coutinho evitou fazer comparações entre a atuação deste sábado e os jogos da Copa do Mundo. “Não sei se foi a melhor atuação da seleção. Nós sabemos das dificuldades que vamos enfrentar, da força dos adversários e temos de melhor cada vez mais”, afirmou.

Na véspera da partida diante do Peru, o técnico Tite havia dito que era injusto concentrar as críticas sobre os problemas de criação da equipe em apenas um jogador. E declarou que estava satisfeito com a produção do meia do Barcelona nos dois primeiros jogos. “Eu quero sempre jogar bem e contribuir. Não é toda partida que vou conseguir dar o meu melhor, mas não vai faltar entrega e atitude para tentar fazer o melhor jogo. O importante foi todo mundo se dedicando ao máximo. É assim que deve ser feito”, afirmou Coutinho.

O meia também comentou a possibilidade de atuar ao lado de Neymar, que pode se transferir para o Barcelona na próxima janela de transferências. O jogador teria enviado uma mensagem ao presidente do PSG informando que não retornaria a Paris. “Neymar é um grande craque. Jogar com Neymar é um grande craque e seria uma felicidade muito grande jogar ao lado dele”, afirmou o meia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.