Cesar Olmedo/ Reuters
Cesar Olmedo/ Reuters

Cerro Porteño pede à Conmebol anulação de jogo com o Fluminense após erro de arbitragem

Equipe paraguaia foi prejudicada ao ter gol mal anulado; partida terminou com vitória por 2 a 0 da equipe carioca

Redação, O Estado de S.Paulo

14 de julho de 2021 | 23h18

O Cerro Porteño protocolou junto à Conmebol um pedido para que o duelo com o Fluminense, realizado em Assunção na terça-feira, seja anulado após erro de análise do VAR. O jogo válido pela partida de ida da fase de oitavas de final da Copa Libertadores terminou com vitória da equipe das Laranjeiras por 2 a 0 no estádio La Nueva Olla. Com o resultado, o time carioca carrega boa vantagem para a partida decisiva agendada para a próxima terça-feira, às 19h15, no Maracanã.

Na carta, a equipe paraguaia reafirma que o encontro ficou marcado por "acontecimentos vergonhosos", que não podem, segundo o Cerro Porteño, ser omitidas pela Conmebol em razão dos valores e virtudes promovidos pela entidade sul-americana e também pelo órgão máximo do futebol mundial, a Fifa. O clube de Assunção também pede que a Conmebol tome medidas exemplares sobre a continuidade da equipe de arbitragem responsável por conduzir a partida desta terça-feira.

Mais cedo, a Confederação sul-americana de Futebol anunciou punição à equipe que comandava o VAR. Foram suspensos por tempo indeterminado os árbitros Julio Fernández, da Argentina, e os chilenos Cesar Deishler e Eduardo Gamboa. A comissão de arbitragem entende que os árbitros "cometeram erros graves e manifestos no exercícios de suas funções." O Cerro Porteño pedia a expulsão da equipe de arbitragem do quadro oficial da entidade e incluía no pedido o árbitros principal Facundo Tello, o assistente Cristian Navarro e o quarto árbitro Patricio Loustau, todos da Argentina.

Aos 40 minutos do primeiro tempo, quando o placar estava empatado em 0 a 0, o gol do time paraguaio foi anulado por impedimento, quando na verdade o jogador Samuel Xavier, do Fluminense, dava condição à jogada e foi excluído da imagem em que foram aplicadas as marcações de impedimento pelo árbitro de vídeo. Com isso, os árbitros analisaram uma imagem incompleta e anularam o tento paraguaio, que inauguraria o marcador no estádio La Nueva Olla.

Ao longo da carta protocolada na Conmebol, o Cerro Porteño também pede à Comissão Disciplinar da entidade a anulação do encontro entre brasileiros e paraguaios e que um novo jogo seja remarcado na data que seja conveniente a todas as partes afetadas. "O Club Cerro Porteño considera que fatos como os de ontem (terça-feira) devem ser banidos do futebol de maneira permanente e sua equipe de arbitragem deve ser punida de maneira contundente para que (erros desse tipo) nunca mais se repitam", finaliza a carta.

Após a derrota em casa, o técnico do Cerro Porteño Francisco Arce criticou duramente o erro crasso da arbitragem, disse ser uma situação extremamente óbvia e evidente: "Sinceramente, nos roubaram à mão armada em nossa própria casa", afirmou o ex-jogador de Palmeiras e Grêmio e que hoje é o comandante técnico da equipe paraguaia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.