César Prates, capitão da Portuguesa, rebate Edno

O lateral-direito e capitão da Portuguesa, César Prates, rebateu nesta terça-feira as acusações feitas pelo novo jogador do Corinthians, Edno, feitas em sua apresentação no clube de Parque São Jorge, a respeito da invasão a um dos vestiários do Canindé. O fato aconteceu após a derrota da Lusa para o Vila Nova, pelo Campeonato Brasileiro da Série B. O ex-atleta da Portuguesa afirmou que o lateral tinha sido "obrigado a mentir e dizer que nada tinha acontecido".

AE, Agencia Estado

22 de setembro de 2009 | 19h34

"Eu não sou nenhum garoto e também não comecei no futebol ontem. Nunca iria me submeter a esse tipo de coisa. Não iria sujar a minha imagem para defender uma mentira", afirmou César Prates, que logo em seguida explicou o motivo da entrevista. "Fui a público pois achei necessário defender o meu clube de acusações que não tinham fundamento. Quem estava no vestiário sabe que as coisas não ocorreram desta maneira", completou.

Após aquele jogo, válido pela 20.ª rodada, no dia 25 de agosto, dois conselheiros invadiram os vestiários com dois seguranças que estavam, aparentemente, armados. O objetivo era intimidar alguns jogadores, entre eles o próprio Edno.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.