Chamusca chama jogadores de heróis

A derrota do São Caetano para o Santos, por 3 a 0, neste domingo à tarde, no estádio Anacleto Campanella, não foi lamentada por ninguém no Azulão. Mas o técnico Péricles Chamusca, quase que num desabafo, saiu em defesa de seus jogadores a quem qualificou como "heróis depois de tantos problemas que enfrentaram neste ano, primeiro com a morte do Serginho e depois com a punição sofrida no Tribunal".A declaração do técnico confirmou que o time não superou mesmo a golpe da semana, quando o Superior Tribunal de Justiça (STJD) do Rio de Janeiro condenou o clube a perder 24 pontos pelo uso irregular de Serginho, que morreu no dia 27 de outubro, no grama do do Morumbi.Mas com relação ao jogo, Chamusca reconheceu que seu time "realmente não jogou bem". Para ele, o time errou muitos passes no primeiro tempo, apesar do equilíbrio em campo e da "infelicidade do zagueiro Gustavo que tentou cortar a bola e deixou no pé do E lano para marcar o primeiro gol". O técnico também considerou "inoperante a nossa ação ofensiva". Disse, porém, que houve uma melhora no início do segundo tempo, mas que o segundo gol, marcado por Ricardinho, de pênalti, foi o "divisor de águas". Ele lam entou a perda de uma chance, após 2 a 0, com Thiago, mas soube reconhecer a superioridade santista. "É um time muito veloz, que após o 2 a 0 se fechou bem na defesa e depois, na seqüência nos matou com o terceiro gol".O meia-atacante Marcinho resumiu bem tudo que aconteceu em campo: "O Santos foi mais competente do que a gente". O volante Marcelo Mattos, expulso no segundo tempo, disse nos vestiários que esta deve ter sido sua última participação no clube, uma vez que seu procurador já acertou a sua transferência para o Corinthians em 2005. A derrota derrubou uma série inédita de vitórias do Azulão em casa. No total foram nove vitórias consecutivas.Durante a semana, na quinta-feira, o clube tentará recuperar os 24 pontos perdidos através de recursos que será analisado em segunda instância, pelo Plenário Pleno do STJD, no Rio. Se reverter a punição, o clube poderá ainda lutar por uma vaga na Copa Libertadores, mas precisando vencer o Atlético-MG, na última rodada, em Minas Gerais, e torcendo contra o Palmeiras diante do Fluminense.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.