Reprodução/Twitter/ChapecoenseReal
Reprodução/Twitter/ChapecoenseReal

Chapecoense celebra permanência na Série A e já planeja 2018

Em ano de reconstrução, time supera dificuldades, se recupera na tabela e comemora temporada de recomeço após tragédia

Julia Belas, ESPECIAL PARA O ESTADO, O Estado de S.Paulo

18 Novembro 2017 | 07h00

Em um ano sofrido e de reconstrução, a Chapecoense conseguiu garantir a permanência na primeira divisão do Campeonato Brasileiro na última rodada. O time bateu o Vitória por 2 a 1, na Arena Condá, atingiu 47 pontos e celebrou como se tivesse conquistado um título.

TEMPO REAL - Confira como foi o jogo entre Chapecoense e Vitória

A ‘salvação’ do time fez com que jogadores festejassem no vestiário da Arena Condá ao som de ‘vamo, vamo, Chapê’ , em cena que lembrou a comemoração feita em 2016, quando o time se classificou para a final da Copa Sul-Americana, dias antes da tragédia na Colômbia.

“É um momento de alívio, de realizações. A torcida pode gritar que está na Série A de 2018”, afirmou Moisés Ribeiro, remanescente do time do ano passado. O atacante Túlio de Melo lembrou das vítimas do acidente aéreo ocorrido em 2016.

“Conseguimos cumprir a missão de deixar o time no mesmo patamar que eles deixaram”, comentou. A emoção tomou conta de todos. Teve sabor de conquista, embora sua briga na tabela era apenas para se salvar do rebaixamento”, afirmou.

TEMPORADA

O ano foi de luto e retomada para a Chapecoense. O acidente aéreo na Colômbia no dia 28 de novembro de 2016 deixou um saldo de 71 mortos – entre eles, 19 jogadores, o técnico Caio Júnior, integrantes da comissão técnica, diretores e o presidente, além de 21 jornalistas que trabalhariam na primeira partida da final da Copa Sul-Americana contra o Atlético Nacional, em Medellín.

Diretores que não foram para a Colômbia assumiram o comando. O técnico Vagner Mancini foi contratado e jogadores de todas as partes do Brasil começaram a chegar.

A primeira partida no ano foi disputada em 21 de janeiro, um amistoso com o Palmeiras na Arena Condá. Pouco tempo depois, o clube conquistou o inédito bicampeonato catarinense e chegou a liderar o Brasileirão. 

Um erro na escalação do zagueiro Luiz Otávio contra o Lanús, em Buenos Aires, tirou da Chape a vaga nas oitavas de final da Libertadores e o time se perdeu. Mancini foi demitido e Vinícius Eutrópio e Emerson Cris tentaram dar um rumo à equipe, que ainda realizou uma série de amistosos na Europa e Japão em homenagem às vítimas.

Foi só com Gilson Kleina que a estabilidade do time voltou ao normal e o time, que retomou o rumo das vitórias, principalmente em casa, e garantiu a permanência na Série A.

 

​PLANEJAMENTO

A Chapecoense começou ontem mesmo a planejar a próxima temporada. Diretoria e comissão técnica se reuniram para traçar os rumos e definir as metas do time catarinense nos próximos meses.  “O planejamento já começou, inclusive já tivemos reuniões, mas temos um árduo caminho pela frente”, explicou o diretor de Comunicação do clube, Fernando Mattos. 

A aposta é na manutenção da base de jogadores e do estilo de jogo proposto pelo técnico Gilson Kleina. “A gente sabe da competitividade, então vamos manter o mesmo planejamento apresentado até aqui”, afirmou.

O próximo confronto da Chapecoense será contra o lanterna Atlético-GO, domingo às 17h, em Goiânia. Em seguida, a equipe visita o Bahia em Salvador e, por fim, encerra o Campeonato Brasileiro em frente à sua torcida, contra o Coritiba.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.