Márcio Cunha/Chapecoense
Márcio Cunha/Chapecoense

Chapecoense lamenta acidente aéreo com o Palmas; clubes se solidarizam

Time catarinense passou por ocasião parecida: em 2016, 71 pessoas morreram em episódio na Colômbia

Redação, O Estado de S.Paulo

24 de janeiro de 2021 | 13h13

O domingo de consternação com a queda da aeronave que conduzia parte da delegação do Palmas, do Tocantins, e vitimou seis pessoas, reviveu à Chapecoense o acidente de 2016. Na ocasião, 71 pessoas morreram em acidente semelhante, na Colômbia. Abalado, o clube catarinense fez questão de prestar solidariedade ao time do Centro-Oeste.

"É com profunda tristeza que recebemos a notícia da queda do avião que levava atletas e o presidente do do @PalmasFutebol. Infelizmente, sabemos como é este momento de dor insuperável por perdas irreparáveis e gostaríamos que nenhuma outra agremiação tivesse que sentir o mesmo", lamentou a Chapecoense.

"Diante do ocorrido, no entanto, externamos o nosso sentimento de força e a nossa total solidariedade aos familiares, amigos, colegas de clube e torcedores. Vocês não passarão por isso sozinhos."

A notícia do acidente que vitimou o presidente do Palmas, Lucas Meira, os jogadores Lucas Praxedes, Guilherme Noé, Ranule e Marcus Molinari, além do piloto Wagner, deixou o mundo do futebol em luto. E proporcionou uma onda de solidariedade pelos quatro cantos do País.

Todos, sem exceção, fizeram questão de prestar solidariedade ao Palmas-TO. O clube se dirigia para Goiânia, onde enfrentaria o Vila Nova, nesta segunda-feira, pela Copa Verde.

Os jogos de todas as competições deste triste domingo de futebol vão ter um minuto de silêncio em homenagem às vítimas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.