Márcio Cunha/AFC
Márcio Cunha/AFC

Chapecoense vence o Brusque de novo e fatura seu 7º título catarinense

Equipe de Chapecó ganhou por 1 a 0 neste domingo e levantou o troféu estadual

Redação, Estadão Conteúdo

13 de setembro de 2020 | 18h32

A Chapecoense é campeã catarinense de 2020. O time de Chapecó confirmou seu sétimo título na história ao vencer o Brusque por 1 a 0 neste domingo, no estádio Augusto Bauer. No jogo de ida, na Arena Condá, a Chapecoense já tinha vencido por 2 a 0, portanto, fechou a fase final com duas vitórias e placar agregado por 3 a 0. O gol da vitória foi marcado por Anselmo Ramon, aos 23 minutos do segundo tempo.

Esta foi a quinta final consecutiva disputada pela Chapecoense, reafirmando o seu domínio recente no futebol de Santa Catarina. O Brusque tentava o seu segundo título estadual, porque só tinha levantado a taça em 1992, há 18 anos.

Precisando vencer e descontar a vantagem, o Brusque começou o jogo na ofensiva, como era esperado. O técnico Jerson Testoni cobrou velocidade do time pelas laterais e pediu para o levantamento em direção à grande área. Mas era uma estratégia já esperada pelos defensores da Chapecoense, que se mantiverem firmes e não perderam nenhuma disputa por cima.

Faltava ao Brusque mais qualidade na troca de passes para tentar as infiltrações. Sem chance de superar a defensiva adversária, restou apenas arriscar as finalizações de fora da área. A melhor chance saiu dos pés de Zé Mateus num chute forte, porém, para fora.

Com vantagem pelo primeiro jogo, o técnico Umberto Louzer escalou todos seus titulares, mas adotou uma postura mais defensiva, priorizando a marcação. O visitante criou duas chances com Paulinho Moccelin, mas que acabaram nas mãos do goleiro Zé Carlos.

O jogo melhorou no segundo tempo, ganhando emoção. Aos 21 minutos, William Oliveira acertou a trave de Zé Carlos, com a resposta do Brusque saindo em seguida com uma finalização de Thiago alagoano, defendida por João Ricardo.

O gol que assegurou o título saiu aos 23. A bola atravessou a defesa do Brusque por duas vezes. Na segunda, Anselmo Ramon apareceu na segunda trave, já na pequena área, apenas para completar com a chapa do pé para as redes.

Se antes já era uma missão difícil para o Brusque, ela passou a ficar praticamente impossível, porque agora teria que marcar quatro gols para ser campeão. O gol parece ter minado as forças do time da casa, que honrou o vice-título além de superar forças mais tradicionais do estado como Figueirense e Avaí, da capital, e o Criciúma.

Os dois times agora se voltam para as competições nacionais. A Chapecoense vai focar suas atenções no objetivo de brigar pelo acesso na Série B do Campeonato Brasileiro. O time está entre os primeiros colocados e com dois jogos a menos. O seu próximo jogo será contra o Náutico, sexta-feira, às 21h30, no Estádio dos Aflitos, em Recife, pela décima rodada.

O Brusque, pela primeira vez na história, chegou à quarta fase da Copa do Brasil e na próxima quarta-feira já enfrenta em casa o Ceará pelo jogo de ida. No outro final de semana volta suas atenções para a disputa do Brasileiro da Série C, recebendo o Tombense, dia 20, às 16 horas, pela sétima rodada do Grupo B.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.