Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians
Daniel Augusto Jr/Agência Corinthians

'Chateado' com situação, ex-diretor do Corinthians nega problema com Oswaldo de Oliveira

À 'Rádio Estadão', Eduardo Ferreira afirmou que deixou o clube por não ter participado de negociação

O Estado de S.Paulo

15 Outubro 2016 | 10h50

Ao mesmo tempo em que apresentava Oswaldo de Oliveira como novo técnico do Corinthians, na tarde desta sexta-feira, Eduardo Ferreira anunciava sua saída do cargo de diretor adjunto de futebol do clube. Durante a coletiva, o ex-dirigente deixou claro que sua saída foi motivada pela maneira como a contratação do novo treinador foi feita pelo presidente Roberto de Andrade. 

Horas depois, em conversa com a Rádio Estadão, Eduardo admitiu que ficou chateado por como a negociação foi conduzida. "Estou há quase dois anos no (departamento de) futebol, sei do meu papel, da minha importância e principalmente do modo que eu trabalho, de toda a minha dedicação. E eu fiquei, sim, chateado pelo modo como foi feito, até chegar ao nome do Oswaldo." Ferreira também reforçou que não é um problema pessoal com o novo técnico corintiano, "mas o modo que foi conduzido".

Perguntado sobre o que ele não concordava na transferência, Eduardo afirmou que "todas as decisões, pequenas, médias ou grandes, eram feitas em conjunto. Nesse caso, não sei te falar o motivo, não ocorreu. E isso me deixou muito chateado, magoado, mas não tem problema. A gente está torcendo da mesma maneira. Agora até com mais tranquilidade para acompanhar de fora, voltando a ser somente torcedor. E a vida segue e quem sabe um dia a gente retorna. Estarei como conselheiro do clube ajudando no que for preciso". 

A diretoria do Corinthians parecia sofrer algum problema de comunicação desde a saída de Cristóvão Borges. Com o treinador criticado pela torcida, o próprio Eduardo Ferreira, às vésperas do clássico com o Palmeiras, havia reforçado que o técnico ficaria até o final de dezembro. No entanto, na coletiva na sequência da derrota por 2 a 0 no clássico em Itaquera, Roberto de Andrade anunciou a demissão de Cristóvão.

À Rádio Estadão, Eduardo disse que aquele que "foi um caso diferente. Tanto na contratação quanto na saída, houve sim uma conversa entre todos."

Entre os membros da diretoria atual, Ferreira falou sobre Alessandro, que "está se destacando nessa nova função. Um grande trabalhador, esforçado, e com um futuro brilhante pela frente". 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.