Herbert Neubauer/Efe
Herbert Neubauer/Efe

'Chateado', Thiago Silva reclama de Neymar e treinamentos de Dunga

Ex-capitão afirma que atacante nunca foi conversar com ele sobre braçadeira e escancara primeira crise na nova seleção brasileira

Jamil Chade - Enviado especial a Viena, O Estado de S. Paulo

16 de novembro de 2014 | 12h22

Thiago Silva, ex-capitão da seleção, desabafa. O zagueiro reclama de Neymar e diz que está "chateado" por estar no banco e sem a braçadeira de capitão. O jogador voltou à seleção pela primeira vez desde a Copa do Mundo de 2014. Mas foi obrigado a ceder a braçadeira de capitão para Neymar. Para completar, não recuperou nem sua posição como titular, o que era incontestável durante os anos de Luiz Felipe Scolari.

Em entrevista neste domingo, 16, em Viena, o zagueiro não poupou críticas. Segundo ele, Neymar não veio conversar com ele depois que a braçadeira de capitão passou do zagueiro para o astro do Barcelona. "Ninguém veio me procurar para conversar e é isso que me deixa chateado. Mas não tem de partir de mim essa conversa", alertou. "Parece que te tiraram algo que te pertence. É triste. É doloroso", afirmou. "Perdi espaço e estou chateado."

Questionado se a perda da titularidade seria temporário, mandou seu recado até para a comissão técnica. "Hoje em dia eu não sei. Depende do ponto de vista das pessoas", disse.


Na terça-feira, a seleção faz seu último amistoso do ano, contra a Áustria em Viena. Dunga soma cinco vitórias em cinco jogos e sua zaga está invicta, mesmo sem Thiago Silva em campo. Durante a Copa do Mundo, Thiago Silva surpreendeu ao optar por não assistir à cobrança de pênaltis no jogo entre Brasil e Chile, apesar de ser o capitão.

Engolindo suas emoções e visivelmente irritado com a situação, o jogador contou que, desde que voltou, passou a ficar "mais reservado". "Tenho procurado algumas pessoas a conversar. Mas não quero dizer nomes para não comprometer essas pessoas e para que não sofram", disse.

Thiago Silva justifica que não foi convocado antes por estar contundido. Mas admite que, nos últimos dias, tem "sentido os treinos". Para ele, a seleção tem razão em buscar uma renovação. Mas mandou seu alerta de que o grupo "também precisa dos mais experientes". O ex-capitão também criticou os treinamentos de Dunga. "Há uma correria louca e precisa ter um meio termo", alertou. "Não pode ser lento, mas também não pode ser acelerado", apontou.

Luiz Gustavo, que também foi mantido no time, preferiu não tomar posição em relação a Neymar e Thiago Silva. Mas deixou claro que o zagueiro tem "o direito de falar".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.