Sebastião Moreira/EFE - 14/2/2011
Sebastião Moreira/EFE - 14/2/2011

Chechênia anuncia jogo contra Brasil campeão de 2002

Kaká, Ronaldinho Gaúcho e Ronaldo poderão participar do confronto no dia 10 de março

AE-AP, Agência Estado

16 de fevereiro de 2011 | 10h00

Um funcionário do governo da Chechênia, região separatista da Rússia, afirmou nesta quarta-feira que uma equipe formada por jogadores do país fará um amistoso contra a seleção brasileira campeã do mundo de 2002, no próximo dia 10 de março, em solo checheno.

Para confirmar a informação, o site do governo da Chechênia cita uma afirmação do ministro local do Esporte, Haidar Aljanov, que assegurou que Kaká, Ronaldinho Gaúcho e o recém-aposentado Ronaldo poderão participar do confronto. "Este será um poderoso estímulo para os jogadores do Terek Grozni e um grande presente para os torcedores da Chechênia", disse Alkhanov.

No começo deste mês, o Terek Grozni, da Chechênia, apresentou o holandês Ruud Gullit como seu novo treinador. E Alkhanov prometeu que o ex-astro da seleção da Holanda usará a sua influência no futebol para convencer vários jogadores brasileiros a participarem do amistoso contra o combinado local, que teria como base atletas que atuam no Terek Grozni. O anúncio de Gullit como técnico do desconhecido time checheno causou surpresa em um primeiro momento, mas especulasse que ele ganhará cerca de US$ 5 milhões (aproximadamente R$ 8 milhões) por um contrato de 18 meses com o clube.

A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) não confirmou qualquer acordo até agora para a possível realização do amistoso, mas o comunicado do governo da Chechênia diz até que o líder político do país, Ramzan Kadyrov, será o capitão da equipe que será formada por jogadores locais. O valor que seria pago aos brasileiros para participar do confronto também não foi divulgado, mas é certo que os dirigentes locais estão dispostos a pagar caro para elevar o prestígio da região, abalada após confrontos separatistas, por meio do esporte.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.