Chefão da Hicks anunciará mudanças

O prejuízo acumulado nos últimos três anos na América Latina - cerca de US$ 15 bilhões foram investidos - provocou desespero nos americanos da Hicks, Muse, Tate & Furst. Desde o segundo semestre de 2001, eles saem em busca de soluções, mas não vêm obtendo sucesso. Por isso, chegaram a um consenso, depois de dezenas de reuniões: cortarão drasticamente os investimentos sem desfazer os negócios. Nos próximos dias, Charles Tate, o ?T? do HMTF, estará no Brasil para anunciar as mudanças aos dirigentes dos dois clubes com quem têm parceria, Corinthians e Cruzeiro. Tate, um dos quatro sócios do fundo de pensões, se reunirá com Alberto Dualib, presidente do Corinthians, e Zezé Perrella, do Cruzeiro. Os executivos da Hicks no Brasil já foram avisados. Ele vai também à Argentina, onde o grupo depositou quase 50% dos investimentos na América Latina - em TV, internet e marketing. O contrato com Corinthians e Cruzeiro não sofrerá nenhuma modificação em suas cláusulas. Tate avisará apenas que o HMTF não colocará mais nenhum tostão nos cofres dos clubes para contratações de jogadores, como já havia anunciado o homem-forte da empresa no País, Dick Law, para a Agência Estado, em entrevista distribuída em 12 de janeiro. "Apenas a folha de pagamento é maior que toda a receita. Por isso, só vamos comprar jogadores se conseguirmos vender", declarou Law, que, em breve, deixará o cargo. Na realidade, essa contenção de despesas já vêm ocorrendo há pelo menos 6 meses. Tate deixará claro, porém, que os americanos vão dar mais uma chance para a parceria. Se até o fim do ano, o quadro, por enquanto deficitário, não for alterado, o fundo de pensões se afastará do futebol brasileiro. A Hicks anunciará, também, o acordo com a Fox para o surgimento do canal de esportes Fox Panamerican Sports, que entrará no lugar da falida PSN.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.