Chefe da liga inglesa afirma estar feliz por transferência de Suárez

Após tornar-se artilheiro da última edição do Campeonato Inglês, atacante uruguaio foi contratado pelo Barcelona por R$ 287 milhões

Estadão Conteúdo

13 de agosto de 2014 | 10h09

O chefe executivo da Premier Legue, responsável pela organização do Campeonato Inglês, não lamentou a saída do atacante Luis Suárez do Liverpool, mesmo que o atacante uruguaio fosse considerado um dos principais jogadores do futebol do país. Nesta quarta-feira, Richard Scudamore descreveu Suárez como "um acidente esperando acontecer".

O dirigente reconheceu que Suárez é um grande jogador, mas elogiou o Liverpool por vender o jogador ao Barcelona. "Ele teve o seu momento aqui, mas não posso dizer que sinto muito de vê-lo sair. Eu acho que foi um bom negócio em valores para o Liverpool vender Suárez", disse.

O Liverpool negou Suárez com o Barcelona por US$ 130 milhões (aproximadamente R$ 396 milhões) em julho, logo após o jogador receber uma suspensão de quatro meses de afastamento de qualquer atividade ligada ao futebol e nove jogos de suspensão da seleção do Uruguai em competições oficiais, imposta pela Fifa, por morder o italiano Chiellini durante a Copa do Mundo. Nesta quinta-feira, a Corte Arbitral do Esporte dará um veredicto sobre o recurso do jogador contra a punição.

Suárez já havia mordido um adversário outras duas vezes, uma delas no Campeonato Inglês, ao atacar o lateral-direito Branislav Ivanovic, do Chelsea, o que o levou a ser suspenso. O uruguaio também pegou outro gancho no futebol da Inglaterra ao proferir insultos raciais ao lateral-esquerdo Patrice Evra, então no Manchester United.

Para Scudamore, as ações de Suárez afetavam a imagem do Campeonato Inglês. "É muito bom tê-lo, mas é um acidente esperando acontecer, e se você gasta o seu tempo tentando promover o que é bom para o Campeonato Inglês, você está sempre esperando a próxima coisa a acontecer", concluiu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.