Chefe de ética da Fifa diz estar investigando dirigentes sobre Copas de 2018 e 2022

O principal investigador de ética da Fifa disse nesta quarta-feira que está realizando vários procedimentos com relação a dirigentes do futebol não identificados com base nas descobertas iniciais de uma investigação sobre as propostas que ganharam o direito de organizar as duas próximas Copas do Mundo.

REUTERS

17 de junho de 2015 | 12h05

“A câmara investigativa independente do Comitê de Ética da Fifa está conduzindo vários procedimentos a respeito de dirigentes do futebol pela suspeita de violação do Código de Ética da Fifa com base nas descobertas de uma investigação sobre a decisão das Copas de 2018 e 2022”, afirmou Cornel Borbely, principal investigador de ética da Fifa, em comunicado.

“Caso novas provas venham à tona, a câmara investigativa irá ampliar o grupo de suspeitos”.

O Comitê de Ética não tem autorização para informar os nomes das pessoas sob investigação, e Borbely disse que, por razões táticas, não irá fornecer informações sobre o atual número de suspeitos ou investigadores envolvidos.

(Por Katharina Bart)

Tudo o que sabemos sobre:
FUTFIFADIRIGENTESINVESTIGACAO*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.