ANDREJ ISAKOVIC / AFP
ANDREJ ISAKOVIC / AFP

Chefe da Mercedes diz que Hamilton foi 'roubado' em Abu Dabi; corrida garantiu título de Verstappen

Toto Woff reclama de irregularidades na relargada após a entrada do safety car; piloto holandês ultrapassou o heptacampeão na volta final e se sagrou campeão da Fórmula 1

Redação, Estadão Conteúdo

16 de dezembro de 2021 | 15h34

Toto Wolff e Lewis Hamilton boicotaram o jantar de gala na sede da FIA (Federação Internacional de Automobilismo) nesta quinta-feira. A indignação na Mercedes ainda é enorme pelo final do GP de Abu Dabi e o diretor executivo da escuderia quebrou o silêncio garantindo que o heptacampeão mundial "foi roubado" na última volta da prova que definiu o título de Max Verstappen.

A Mercedes chegou a entrar com dois recursos para reverter o resultado da prova, ainda no domingo, mas ambos foram negados. Nesta quinta-feira, ela optou por não ir além na ideia de novo recurso, no supremo da FIA. Mas não escondeu sua indignação.

"Ele tinha a liderança em Abu Dabi no domingo desde o início. Venceu a largada e nunca mais perdeu a liderança, e roubá-lo na última volta da corrida é inaceitável. Nunca vou superar isso", desabafou Wolff, que explicou o motivo de a Mercedes não ir às últimas consequências para reverter o resultado da prova. As alegações eram sobre irregularidades na relargada para a última volta, após o saffety car deixar a pista.

A primeira reclamação tinha foco na forma que foi feita a relargada após o safety car ser acionado por conta da batida de Nicholas Latifi, da Williams. Na segunda, a Mercedes alegava que o Verstappen teria colocado o carro à frente de Lewis Hamilton na curva 12, durante a preparação para relargada.

"Decidimos junto com Lewis protestar, lançar o recurso e retirá-lo. Mas você pode imaginar não só para ele, mas também para nós, equipe, como foi terrível ser confrontado com uma decisão que decidiu o resultado do campeonato mundial", lamentou o dirigente. "Mas nem ele nem nós queríamos ganhar o campeonato mundial no tribunal."

Wolff imagina o troco de Hamilton na pista, apesar de não ter certeza se o inglês estará no grid da próxima temporada. "Espero muito que Lewis continue correndo, porque ele é o maior piloto de todos os tempos. Acho que, como piloto, seu coração dirá que ele precisa continuar."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.