Chega a vez do "craque-cartola"

Jogador de futebol quando queria prolongar sua ligação com o esporte, virava, no máximo, treinador. Era assim. Hoje, ex e atuais craques decidiram investir parte dos valores ganhos na carreira comprando seus próprios clubes. Cartolas que estiveram lá, que conhecem do assunto. O mercado, em dificuldade, agradece. Zico foi um dos pioneiros, deixou de lado o Flamengo e montou em 1986 o CFZ. A equipe profissional já não existe mais, mas as categorias de base se mantém em atividade.Leia mais no Estadão

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.