Divulgação/Palermo
Divulgação/Palermo

Cheio de dívidas, Palermo é vendido para empresários ingleses por 10 euros

Em comunicado oficial, presidente admite que esta foi a única forma de devolver o clube aos tempos de glória

Estadão Conteúdo

01 Dezembro 2018 | 18h30

Com enormes dificuldades financeiras e atualmente na Série B do Campeonato Italiano, o Palermo, um dos clubes mais tradicionais da Itália, foi vendido neste sábado para um consórcio empresarial inglês por simbólicos 10 euros (cerca de R$ 43). O nome do grupo empresarial não foi revelado, mas marca uma "enorme decepção" para o presidente Maurizio Zamparini, que admitiu que a única forma de devolver o clube aos seus tempos de glória foi a negociação.

Em um comunicado oficial divulgado no site oficial do Palermo, Zamparini admite que a venda aconteceu pensando no futuro do clube e que sai com "um nó na garganta". "Pensando apenas no futuro do clube e dos seus torcedores. É com um nó na garganta que anuncio a minha saída", afirmou.

"Sempre que venho a Palermo sinto o afeto e reconhecimento dos moradores. Quando viajo pelas cidades da Europa, recebo carinho por parte dos torcedores (do Palermo) que estão espalhados pelo continente e me reconhecem", disse o dirigente.

Zamparini afirma que a venda aconteceu por um "preço simbólico", sendo que o novo proprietário assumiu "o compromisso de pagar a dívida do Palermo, no valor de 22,8 milhões de euros (quase R$ 100 milhões)". O dirigente havia comprado o clube da Sicília em 2002, por 15 milhões de euros (R$ 65,6 milhões). No seu currículo enquanto presidente se destaca a volta à Série A em 2004, depois de 31 anos de ausência.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.