Chilavert acusa Scolari de conspiração nas Eliminatórias 2002

Sempre polêmico, o ex-goleiro paraguaio José Luiz Chilavert voltou a atacar nesta segunda-feira ao acusar Luiz Felipe Scolari, ex-técnico do Brasil, de impedir a atuação de Gamarra e Enciso no confronto entre as duas equipes nas Eliminatórias Sul-Americanas para o Mundial de 2002. Na época, o gaúcho dirigia a seleção brasileira, que acabou conquistando o pentacampeonato na Ásia.A partida, que ocorreu no dia 15 de agosto de 2001, em Porto Alegre, foi vencida pela seleção brasileira por 2 a 0. Segundo Chilavert, Felipão teria pressionado o empresário Gilmar Veloz para que o zagueiro e o volante não participassem do confronto - os dois jogadores eram clientes do procurador. "Os torcedores têm de saber que, se o Paraguai empatasse, o Brasil ficaria fora do Mundial. Então, Scolari entrou em contato com ele (Gilmar Veloz) e pediu que nem Gamarra nem Enciso jogassem", afirmou Chilavert. "Gilmar Veloz era muito amigo de Scolari", completou.Naquela ocasião, a APF (Associação Paraguaia de Futebol) divulgou que Gamarra, que defendia o AEK de Atenas, estava cortado por lesão no púbis. Já Enciso, que atuava no Internacional, teria sido vetado para resolver problemas com a Justiça.Chilavert também atacou o mandatário da APF, Oscar Harrison, e o treinador da seleção paraguaia que está disputando a Copa do Mundo da Alemanha, o uruguaio Aníbal Ruiz. "Não me interesso em ser técnico, e sim ser presidente da Associação".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.