Mario Ruiz?EFE
Mario Ruiz?EFE

Chile bate o Uruguai de virada e sobe para o quarto lugar nas Eliminatórias

Resultado coroa mais um ano brilhante para seleção chilena

Estadão Conteúdo

15 de novembro de 2016 | 23h47

Com grande atuação de dois dos seus principais jogadores - o atacante Alexis Sánchez e o goleiro Claudio Bravo -, o Chile derrotou de virada o Uruguai por 3 a 1, nesta terça-feira, no estádio Nacional, em Santiago, pela 12.ª rodada das Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo de 2018, que será na Rússia. O resultado faz com que os chilenos fechem a temporada de 2016 na zona de classificação ao Mundial.

Com 20 pontos, o Chile ultrapassou a Colômbia e assumiu a quarta colocação, o que hoje daria uma vaga direta na Copa. O resultado positivo contra o Uruguai coroa mais um ano de sucesso para os chilenos, que em junho conquistaram a Copa América Centenário, nos Estados Unidos. Em 2015, foram campeões, em casa, da Copa América - em ambas as finais a vitória foi sobre a Argentina, na decisão por pênaltis. 

Já o Uruguai, imbatível quando atua em Montevidéu, mostra muita irregularidade fora de casa. Em seis partidas como visitante, apenas uma vitória, além de dois empates e agora três derrotas. Assim, permanece com 23 pontos e na segunda colocação, atrás do Brasil.

Em campo, o Uruguai mostrou força nos primeiros minutos e assustou o Chile. Aos 16 minutos, conseguiu abrir o placar. Medel e Marcelo Díaz vacilaram após um bate e rebate na intermediária e a bola ficou com Luis Suárez. O centroavante tocou para Cavani, que deslocou Claudio Bravo para marcar seu oitavo gol no torneio qualificatório.

Os problemas para os uruguaios começaram pouco antes do intervalo. Aos 44 minutos, Luis Suárez levou cartão amarelo e, como estava pendurado, não vai enfrentar o Brasil na próxima rodada, em março. Aos 46, o empate chileno. Alexis Sánchez puxou o ataque em velocidade e tocou na esquerda para Beausejour cruzar na medida. Vargas, sem nem precisar saltar, completou de cabeça para deixar tudo igual.

Na segunda etapa, o equilíbrio era latente até os 15 minutos, quando uma jogada de pura inteligência de Alexis Sánchez mudou o jogo. O atacante do Arsenal deu um belo drible de corpo em Vecino e finalizou com força e rasteiro. O goleiro Muslera falhou e o Chile conseguiu a virada.

Atrás do empate, o Uruguai deu espaço para os contra-ataques chilenos e em um deles saiu o terceiro gol. Aos 30 minutos, Marcelo Díaz lançou Alexis Sánchez, que ganhou na velocidade e no corpo e tocou no cantinho para balançar as redes.

A vitória estava confirmada, mas não antes de ter um pouco mais de emoção. Aos 42 minutos, Claudio Bravo cometeu pênalti em Gastón Ramírez. Luis Suárez foi para a cobrança e o goleiro chileno acertou o canto, o seu direito, e fez a defesa para impedir que os minutos finais do jogo tivessem uma pressão uruguaia.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.