Chile menospreza defesa brasileira

Sobra confiança e arrogância na seleção chilena. Seus jogadores disseram nesta quarta-feira que a defesa do Brasil é lenta. A ordem é aproveitar os espaços entre os zagueiros para o Chile vencer a partida, nesta quinta-feira, em Concepción, na decisão do grupo A do Pré-Olímpico."Os defensores centrais (Edu Dracena e Alex) são um pouco lentos, temos de aproveitar isso porque o Brasil vai sair para o ataque e dar espaços", disse o atacante Braulio Leal, autor do gol da vitória contra o Paraguai (3 a 2).O volante Rodrigo Millar também criticou os zagueiros brasileiros. "A defesa deles é lenta, mesmo assim vai ser uma partida complicada. Temos de jogar com muita tranqüilidade e concentração. Temos condições de chegar à fase final do torneio."Beausejour, atacante decisivo no jogo contra os paraguaios, disse que o Chile precisa atuar com a mesma garra dos últimos três jogos. E não deixou de criticar a defesa da seleção brasileira. "Queremos ratificar contra o Brasil o que temos feito nas partidas anteriores. Acredito que eles nos darão espaços porque têm de sair para o jogo, buscar os três pontos."Mais sereno que seus jogadores, o técnico Juvenal Olmos alertou que a vantagem do Chile é jogar por dois resultados: "O mérito nosso é que frente ao Brasil teremos dois resultados (vitória e empate) a favor."Os chilenos acumularam a vantagem com a polêmica vitória contra o Paraguai na terça-feira. Os paraguaios contestaram a arbitragem do colombiano Fernando Panesso. "Publicamente posso dizer que fomos vítimas de um atentado", afirmou o técnico Carlos Jara.Dirigentes da Federação Paraguaia apresentaram uma queixa contra o árbitro, mas acreditam que a Conmebol não vai tirar os pontos do Chile.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.