China garante provisão energética durante os Jogos Olímpicos

Pequim consumirá cerca de 15 milhões de quilowatts, acima dos 11,9 milhões do mesmo período em 2007

10 de janeiro de 2008 | 11h07

A capacidade de provisão energética de Pequim será suficiente para satisfazer a demanda da cidade durante os Jogos Olímpicos deste ano e a capital tomará medidas para reduzir o volume do tráfego, anunciou o Governo municipal, nesta quinta-feira. Segundo estimativas da Comissão de Reforma e Desenvolvimento, Pequim consumirá entre 14,6 milhões e 15 milhões de quilowatts durante os Jogos, acima dos 11,9 milhões de quilowatts no mesmo período do ano passado. Com a finalização de uma série de projetos em andamento para a transmissão de eletricidade a capacidade da cidade aumentará 34%, suficiente para atenuar essa defasagem prevista na demanda. A reserva da cidade de produtos de petróleo refinado atingiu 290.000 toneladas, segundo a comissão, por isso que as reservas podem satisfazer 18 dias de consumo sobre o cálculo das vendas atuais de 16.000 toneladas diárias. Além disso, o Governo vai se coordenar com Sinopec e Petrochina, as duas maiores refinarias do país, para aumentar a provisão no mercado.  Por outro lado, a cidade imporá uma série de normas para reduzir o tráfego de veículos durante os Jogos e aumentar, ao mesmo tempo, o uso do transporte público.

Tudo o que sabemos sobre:
Pequim 2008

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.