Giuseppe Cacace / AFP
Giuseppe Cacace / AFP

Choro evidencia que Neymar está uma pilha de nervos

Craque também deu um soco na bola na frente do juiz, tomou um cartão amarelo bobo por reclamação, discutiu e xingou os adversários

Raphael Ramos*, O Estado de S.Paulo

22 Junho 2018 | 16h46

Neymar está uma pilha de nervos e já não consegue esconder isso de ninguém. A obrigação que o próprio craque impôs de brilhar na Copa da Rússia depois da lesão sofrida no Mundial de 2014 parece ser um fardo pesado demais para ser carregado sozinho.

+ Especialistas explicam relação de amor e ódio da torcida com Neymar

+ Neymar desabafa nas redes sociais após vitória: 'Falar até papagaio fala'

+ Um choro para humanizar os brasileiros

Se alguém tinha alguma dúvida de que Neymar está descontrolado emocionalmente, o choro após a vitória por 2 a 0 sobre a Costa Rica, nesta sexta-feira, escancarou ao mundo que a cabeça do craque não anda bem. Durante a partida, Neymar já havia dado vários sinais deste descontrole: deu um soco na bola na frente do juiz, tomou um cartão amarelo bobo por reclamação, discutiu e xingou os adversários com palavras impublicáveis.

Depois do jogo, o destempero continuou. Neymar publicou para os seus 94 milhões de seguidores no Instagram um desabafo com ataque aos críticos e até um palavrão na tentativa de exaltar os demais jogadores da seleção. Totalmente desnecessário.

O descontrole emocional de Neymar pode custar muito caro para a seleção brasileira. Se voltar a tomar mais um cartão no próximo jogo, o craque terá de cumprir suspensão nas oitavas de final em caso de classificação do Brasil.

Ao ver Neymar chorando em campo, é impossível não lembrar de Thiago Silva em 2014. O capitão do time não segurou as lágrimas e virou as costas para as cobranças de pênalti contra a Chile. Postura não condizente com um líder.

Neymar não é capitão da equipe de Tite, mas nem por isso deixa de ser um líder da seleção. O que se espera dele não são socos na bola, xingamentos ou provocações desnecessárias. Neymar precisa colocar a cabeça no lugar e jogar bem, coisa que ainda conseguiu fazer neste Mundial. Se Tite não for capaz de pôr o craque nos eixos, talvez a namorada Bruna Marquezine, que foi a São Petersburgo acompanhar o jogo das tribunas, possa ajudar. Deus Salve o Rei!

* JORNALISTA, CHEFE DE REPORTAGEM DE ESPORTES DO ESTADO

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.